Com um arranjo de metais que lembra a fase soul de Roberto Carlos, a mais nova versão para “Sociedade Alternativa” (1974), de Raul Seixas Paulo Coelho, surpreendeu o Brasil. Quem cantava era o norte-americano Bruce Springsteen, na abertura de seu show em São Paulo, na quarta-feira 18 de setembro de 2013.

Nem deveria surpreender: o belíssimo encontro de lendas do rock, uma daqui e outra de lá, é o que acontece quando um ídolo gringo traz na mala de viagem um pouco de respeito pelo lugar onde vai ganhar uma montanha de dinheiro, em vez de simplesmente obrigar a colônia a cantar que é “born in the U.S.A.”. Muchas gracias, signore Springsteen.

Em tempo: trata-se, parece, de um hábito de Bruce. No Chile, dias atrás, no Chile, o artista cantou e fez discurso político esquerdista por Victor Jara, o genial músico preso, torturado e fuzilado em 1973 pela ditadura então recém-inaugurada naquele país.

DEIXE UMA REPOSTA

Por favor, deixe seu comentário
Por favor, entre seu nome