“Ai Se Eu Te Pego”, de Michel Teló, é um arrasa-quarteirão. O clipe já passa dos 46,4 milhões de acessos no YouTube – é preciso juntar “Não Precisa”, de Paula Fernandes, Victor & Léo, “Amar Não é Pecado”, de Luan Santana, “Balada Boa”, de Gusttavo Lima, e “Pega Eu”, de Fernando e Sorocaba, para empatar em audiência. Há mais de um mês, o cantor figura entre os cem mais do YouTube, deixando para trás hits de Bruno Mars, Adele, Rihanna, Shakira, Eminem, Lady Gaga e Britney Spears. Atualmente, ocupa a 17ª posição mundial. Os comentários de seu megasucesso estão em inglês, espanhol, japonês e outras línguas. Todos querem saber o que significa, afinal, “Ai Se Eu Te Pego”.

 

A ascensão midiática de Michel Teló é meteórica. Há dois anos, ao iniciar sua carreira solo, lançou o clipe “Ei, Psiu! Beijo Me Liga”, que até hoje não passa de 835 mil acessos. Mas não deixou de virar um sucesso nacional, sendo incluído na coletânea “O Melhor do Sertanejo Universitário”. No ano passado, estourou com a música “Fugidinha” (23,5 milhões de acessos, sem contar a versão pagodeira do Exaltasamba, que potencializou o hit). Estourou no último carnaval da Bahia. Essa música foi uma das mais executadas nas cinco regiões brasileiras, segundo o relatório do Ecad.

 

Logo apareceu o convite para participar da gravação do DVD de 40 anos da dupla Chitãozinho & Xororó. A partir dali, ele se credenciou para participar do circo da grande mídia. Começou pelo Programa do Ratinho e SuperPop e hoje já bate ponto no Faustão e Caldeirão do Huck. Michel Teló é paranaense, mas cresceu no Mato Grosso do Sul. Começou a carreira profissional como cantor aos 12 anos no Grupo Guri. Foi também vocalista, sanfoneiro e compositor do Grupo Tradição, com quem trabalhou por quase dez anos.

“Ai Se Eu Te Pego” já ganhou versões em forró, do Garota Safada, e funk, de MC Robert e Os Hawaianos. Virou hit entre as crianças, jogadores de futebol (Neymar é seu maior embaixador), nas periferias, nas baladas, nas rádios e nos programas de tevê. Mas sua origem é anterior a toda essa onda. Ela foi composta pela cantora Sharon Acioly, da Banda Axé Moi, de Porto Seguro. Eis aqui a versão funk, original, de 2009:

Siga o FAROFAFÁ no Twitter
Conheça nossa página no Facebook

DEIXE UMA REPOSTA

Por favor, deixe seu comentário
Por favor, entre seu nome