acha que eu resisto?, não resisto. há vários dias eu tava ansioso que saíssem os resultados da compilação do idelber avelar para determinar “os melhores discos brasileiros do universo”.

porque eu ficava pensando assim: por que não pegar os vencedores do “voto popular”, um por um, e imaginar discos que fossem de algum modo espelhaods com eles, e que livrariam a listomania da inevitabilidade inevitável dos chicos & caetanos, elises & tons & bens & tais?

então, pronto, eu vou tentar. primeiro copio a lista do idelber e depois faço o espelho invertido, de ponta-cabeça, um por um. cê tá entendendo?

então vamos.

aqui, os “verdadeiros” vencedores:

1º “a tábua de esmeralda” (philips, 1974), jorge ben
2º “construção” (philips, 1971), chico buarque
3º “elis & tom” (philips, 1974), elis regina e tom jobim
4º “clube da esquina” (odeon, 1972), milton nascimento e lô borges
5º “dois” (emi/odeon, 1986), legião urbana
6º “tropicália ou panis et circenses” (philips, 1968), vários
7º “krig-ha, bandolo!” (philips, 1973), raul seixas
8º “verde anil amarelo cor de rosa e carvão” (emi/odeon, 1994), marisa monte
9º “afrociberdelia” (sony, 1996), chico science & nação zumbi
10º “secos & molhados” (continental, 1973), secos & molhados
11º “transa” (philips, 1972), caetano veloso
12º “a Divina comédia ou ando meio desligado” (polydor, 1970), mutantes
13º “chico buarque” (philips, 1978), chico buarque
14º “chico buarque” (barclay, 1984), chico buarque
15º “chega de saudade” (odeon, 1959), joão gilberto
16º “meus caros amigos” (philips, 1976), chico buarque
17º “áfrica brasil” (philips, 1976), jorge ben
18º “fatal – gal a todo vapor” (philips, 1971), gal costa
19º “caetano Veloso” (philips, 1968), caetano veloso
20º “acabou chorare” (som livre, 1972), novos baianos
21º “da lama ao caos” (sony, 1994), chico science & nação zumbi
22º “cartola” (discos marcus pereira, 1976), cartola
23º “olho de peixe” (velas, 1993), lenine e marcos suzano
24º “novo aeon” (philips, 1975), raul seixas
25º “cinema transcendental” (philips, 1979), caetano veloso
26º “som pixinguinha” (odeon, 1971), pixinguinha
27º “cabeça dinossauro” (wea, 1986), titãs
28º “álibi” (philips, 1978), maria bethânia
29º “clementina” (emi/odeon, 1979), clementina de jesus (e convidados)
30º “refavela” (philips, 1977), gilberto gil

aqui, os falsos vencedores, os transperdedores, os antitriunfantes, o ou-tro-la-do-do-es-pe-lho:

30º “toni tornado” (odeon, 1972), toni tornado
29º “brasil som 75” (copacabana, 1975), benito di paula (e convidados)
28º “meia-noite” (rca, 1977), maria creuza
27º “magazine” (wea, 1985), magazine
26º “lafayette apresenta os sucessos” (cbs, 1966), lafayette
25º “pelas esquinas de ipanema” (philips, 1978), erasmo carlos
24º “vendendo grilo” (chantecler, 1975), silvio brito
23º “paêbirú” (rozenblit, 1975), lula côrtes e zé ramalho
22º “o samba é bom” (elo music, 2002), antonio vieira
21º “timbalada” (polygram, 1993), timbalada
20º “garra” (odeon, 1971), marcos valle
19º “ronnie von” (philips, 1969), ronnie von
18º “…maravilhosa” (polydor, 1972), wanderléa
17º “cheio de razão” (copacabana, 1978), bebeto
16º “eu pecador” (odeon, 1977), agnaldo timóteo
15º “descendo o morro…” (copacabana, 1958), roberto silva
14º “roberto carlos” (cbs, 1981, com “as baleias” e “emoções”), roberto carlos
13º “eu quero é botar meu bloco na rua…” (philips, 1973), sérgio sampaio
12º “os incríveis” (rca, 1970, com “eu te amo, meu brasil”), os incríveis
11º “a foreign sound” (universal, 2004), caetano veloso
10º “maria alcina” (continental, 1973), maria alcina
9º “o canto da razão” (kaskatas, 1993), art popular
8º “martinha” (rozenblit, 1968), martinha
7º “roberto carlos” (cbs, 1972, com “a montanha” e “o divã”), roberto carlos
6º “pilantrália” (parlophone, 1968), carlos imperial e a turma da pesada
5º “pensa em mim” (cbs, 1972), jerry adriani
4º “sessão das 10” (cbs, 1971), sociedade da grã-ordem kavernista (raul seixas, sérgio sampaio, edy star e miriam batucada)
3º “ama-me” (rca, 1978), jane & herondy
2º “simonal” (odeon, 1970), wilson simonal
1º “roberto carlos” (cbs, 1970, com “jesus cristo” e “o astronauta”), roberto carlos

aliás, deixo uns versinhos de “o astronauta”, em homenagem ao não-vencedor: “não posso mais olhar tanta tristeza/ por isso não vou mais ficar aqui/ o mundo que eu queria não é esse/ o meu mundo é só de sonhos/ (…) meu amor não sei por onde anda/ será que os amores já morreram?/ um astronauta eu queria ser/ pra ficar sempre no espaço/ e desligar os controles da nave espacial/ e pra ficar para sempre no espaço sideral/ não vou voltar pra terra, não/ (…) oh, um astronauta eu queria ser/ pra ficar sempre no espaço/ e não voltar”…

hello, mr. kubrick!

DEIXE UMA REPOSTA

Por favor, deixe seu comentário
Por favor, entre seu nome