O autor de “Me Chama” (1984), “Corações Psicodélicos” (1984), “Decadence avec Élegance” (1985) e “Vida Louca Vida” acaba de lançar mais um “Blá Blá Blá”, ops, uma música, chamada “Eu Não Vou Deixar”. A canção vem acompanhada de texto-bula, no qual Lobão procura explicar a si mesmo: “A unidade é o indivíduo e sem o florescimento integral de cada indivíduo, teremos, invariavelmente, uma coletividade de frouxos, de elementos sem voz própria que vivem a papagair (sic) chavões bregas e clichês esgarçados. São eles os Fora do Eixo,os Midia Ninja,os Black Blocs, os movimentos Passe Livre. Todos um monte de bundamoles frouxos que se resguardam em coletivos para camuflar suas abissais desimportâncias. Pois bem, meus amigos, aqui está esse grito de guerra contra esses frouxos sempre deixando claro que um frouxo unido jamais será um indivíduo”.

A dez dias de completar 56 anos, o cantor e compositor bundadura, provável antítese do que supõe criticar, afirma que fez “questão de gravar todos os instrumentos para mostrar que um indivíduo inteiro estará sempre muito mais apto a fazer uma coletividade infinitamente melhor do que esses imbecis que teimam em começar pelo lado oposto”. Paradoxos do rock’n’roll: trata-se de um roqueiro que já se declarou “de direita” fazendo manifesto musical contra jovens de esquerda.

Lançado ontem (30/9), pela gravadora Deckdisc, o vídeo tinha em menos de 24 horas 10 mil acessos e (pura coincidência) 171 (?!) comentários. Alguns são dignos de citação:

Don Pivito Corleone 13 horas atrás
Me diz um músico desse país,que produz um som dessa qualidade,com esse peso,com esses timbres,gravando todos os instrumentos?!…..ESSE É O LOBÃO.

Webert Pacheco 20 minuto atrás
A música é uma bosta. Tem duas frases melódicas e um monte de barulho mal feito. A letra é coisa de gincana de escola.

Diego anti-Communist 2 horas atrás
Música para deixar os comunas assustados, Lobão é muito importante para o Rock e ainda começou a andar com o mestre Olavo. Nunca é tarde para mudar.

Marcos Taranta 5 horas atrás
Esse comentário recebeu votos negativos demais
lobão e essa mania agora de ser extrema direita… tão lamentável como os extremistas de esquerda que ele tanto critica =S

Fernando França 3 horas atrás
O novo colunista da Veja trabalha pra foder os ralés e eles o idolatram.
Essa hora ele deve estar rindo deles com um sarcasmo típico de burguês revoltado.

Manoel Magalhães 17 horas atrás
Tipo de musica boa que a Lei Rouanet nunca será capaz de nos proporcionar!

A música, em si, nasceu com o propósito de posicionar Lobão contra o movimento Fora do Eixo e outros coletivos. Escreve ele: “Depois de um tempo razaoável (sic) achei de bom alvitre produzir uma canção, não só para registrar com alguma picardia sua amarelada, mas para também acender uma luz em cima desse novo/velho tipo de hiponga maoísta/digital que inpregna (sic) nossos dias com pseudo novas ideias e com aquela prosódia evasivo/neotropicalista que ninguém entende coisa alguma do que eles estão falando”.

É um manifesto do bloco do eu sozinho, de milhares de “eus sozinhos” que, ao final e como todos, vão morrer sozinhos.

LOBAO

 

DEIXE UMA REPOSTA

Por favor, deixe seu comentário
Por favor, entre seu nome