saiu no diário oficial da terça-feira passada, dia 14: foi suspensa a licitação para a reforma que transformaria o prédio do detran no novo Museu de Arte Contemporânea de São Paulo. a determinação é do Tribunal de Contas do Estado.
a reforma do edifício no ibirapuera era para ser um projeto do maior arquiteto brasileiro.
mas o patrimônio histórico vetou e o projeto de niemeyer (a maquete acima) foi engavetado.
imaginava-se então que viria um novo e ousado arquiteto para propor novo projeto, mas a agenda política é apressada, as eleições estão logo ali e assim o plano de instalar o MAC no velho detran (a menina dos olhos do governador) foi entregue à engenharia de obras do estado, notória instituição que abrilhanta a arquitetura brasileira.
o projeto agora é apócrifo, é da companhia paulista de obras e serviços (CPOS).
já que jean nouvel não pode, que herzog & de meuroun não podem, que richard foster não pode, vamos de cpos mesmo…
a licitação foi lançada há coisa de um mês.
mas duas entidades, a empresa MPD Engenharia Ltda e a Associação de Pequenas e Médias Empresas de Construção Civil de São Paulo viram diversas irregularidades nas regras e foram ao tribunal.
não havia nem sequer o termo de responsabilidade técnica exigido pelo CREA/CONFEA.
não é pouca grana envolvida: em janeiro, a secretaria de cultura falava em R$ 80 milhões que seriam aplicados na reforma.

Anteriortodo dia era dia de índio 3
Próximotodo dia era dia de índio 4
Jotabê Medeiros, paraibano de Sumé, é repórter de jornalismo cultural desde 1986 e escritor, autor de Belchior - Apenas um Rapaz Latino-Americano (Todavia, 2017), Raul Seixas - Não diga que a canção está perdida (Todavia, 2019) e Roberto Carlos - Por isso essa voz tamanha (Todavia, 2021)

DEIXE UMA REPOSTA

Por favor, deixe seu comentário
Por favor, entre seu nome