Sam Alves e sua versão bilíngue de "Hallelujah", de Leonard Cohen - Fotos The Voice Brasil/TV Globo
Sam Alves e sua versão bilíngue de “Hallelujah” – Fotos The Voice Brasil/TV Globo
Sam Alves é a vitória do “complexo de vira-latas”, cravou um tuite que pipocou instantes depois do resultado de The Voice Brasil. A cantora Zélia Duncan fez troça: “A real Brazilian Singer sings in English, right? Rs good luck, Sam.” Também no Twitter, o publicitário Michel Lent, da agência Pereira & O’Dell Brasil, criticou: “Rejeitado nos The VoiceEUA, recauchutado no @TheVoiceBrasil.” O jornalista Artur Xexéo foi mais longe: “Na minha humilde opinião, Sam Alves era o pior dos quatro.”

O escritor e dramaturgo Nelson Rodrigues cunhou a expressão “complexo de vira-latas” para falar do trauma dos brasileiros com a derrota na Copa de 1950, mas que se espraiou para muito além do gramado do Maracanã. “Por ‘complexo de vira-lata’ entendo eu a inferioridade em que o brasileiro se coloca, voluntariamente, em face do resto do mundo”, escreveu. Algumas das reações pouco amistosas sobre o vitorioso, Sam Alves, e o programa, The Voice Brasil, seguiram nessa linha.

Nascido em Fortaleza, Sam Alves, de 24 anos, cresceu e mora até hoje nos Estados Unidos. Foi lá que ele foi eliminado da versão americana, em que nenhum dos técnicos, Adam Levine, Blake Shelton, Usher e Shakira, viraram a cadeira. No Brasil, viraram os quatro jurados, Claudia Leitte, Carlinhos Brown, Daniel e Lulu Santos. Na ocasião, a escolha da cantora baiana para ser sua treinadora provou-se acertada. Sam Alves contou com a generosidade dela na apresentação da grande final.

No número solo, o primeiro da noite, Sam Alves primeiro cantou “Hallelujah”, de Leonard Cohen, em duas partes, a primeira numa tropega versão em português e a outra com a letra em inglês no estilo gospel. O site da revista Veja, ao anunciar que não havia “surpresas” na vitória de Sam Alves, disse que “Aleluia” é “uma das canções mais comuns em cultos nos Estados Unidos – e, não por coincidência cantada também este ano por um dos candidados (sic) do The Voice USA”. Tsc, tsc, tsc.

Sam Alves teve 43% dos 29 milhões de votos do público, num processo de votação em que não se fala de auditoria. Leva para casa um carro e uma poupança de 500 mil reais, além de assinar um contrato com a gravadora Universal Music. Para comemorar a vitória, ele cantou “When I Was Your Man”, de Bruno Mars, “of course”. Mas ele não foi o único a cantar uma versão americanizada. Daniel, na parceria com Rubens Daniel, cantou “Bridge Over Troubled Water”, de Paul Simon e um dos maiores sucessos de Simon and Garfunkel.

Rubens Daniel, Lucy Alves, Pedro Lima e Sam Alves, finalistas do The Voice Brasil
Rubens Daniel, Lucy Alves, Pedro Lima e Sam Alves, finalistas do The Voice Brasil
Rubens Daniel teve melhor sorte que Pedro Lima, inúmeras vezes elogiado por todos os técnicos na temporada. Mas na apresentação final fez as vezes de “backing vocal” e foi eclipsado por Lulu Santos, que parecia querer disputar o tempo todo com os outros técnicos. Lulu não entendeu que um dia ele já fora a Voz do Brasil, hoje não é mais.

A bela e talentosa paraibana Lucy Alves, do time de Carlinhos Brown, foi outra preterida pelo público. Tocou “De Volta Pro Aconchego”, de Dominguinhos, acompanhada da família, que forma a banda Clã Brasil. Podia ter sido consagrada na e pela TV Globo como mais uma sanfoneira famosa, da mesma envergadura de Adelaide Chiozzo – alguém se lembra de “Beijinho Doce”? Mas parece que a ordem do dia não era valorizar a cultura brasileira. Am I wrong, #TheVoiceBrazil?

244 COMMENTS

  1. ME POUPEM!!
    Minha primeira escolha era sem dúvidas a LUCY, mas aplaudo de pé o Sam sim!
    Quero deixar uma reflexão aqui: Será que a culpa é dele mesmo o fato de só cantar em inglês ou dos treinadores que ESCOLHEM AS MÚSICAS?
    Digo mais, alguém aqui achou ofensivo a fodáááastica apresentação da Luana Camarah com Sweet Child O’ Mine? Acho que não, né. Além dela cantar rock clássico, você olha pra ela e vê que ela é aquilo: puro rock. Por mais que seja em inglês, ela não tem como cantar algo diferente.
    Agora vai o menino cantar Bruno Mars, galinha dos ovos de ouro do show buziness e que tem extremo apelo público, principalmente com os adolescentes… Aí ele não valoriza a cultura dele, canta mal, mimimi. Percebem como é hipocrisia de NOSSA parte?

    • VALORIZA A CULTURA DELE?????…KKKKK querida leia a reportagem completa aí diz que Sam foi criado e vive até hoje nos EUA, ou seja a cultura dele ele valorizou…O americanês foi beleza, mas a critica se refere ao the voice BRAZILLLLLLLLLLLLLL…SAM É APENAS UM COVER E COVER VC ENCONTRA EM QUALQUER ESQUINA!

      • Gracita falou bem. É tudo joguinho. O cara desafinou d início ao fim. Não sabe cantar, sabe miar. Tudo bem que todo gato mia, mas nem todo gato CANTA E ENCANTA. Ele ta longe disso. Só mais um rostinho bonito, que canta músicas em inglês e que a população brasileira gosta. Não falarei nem das letras musicais. Porque o cara não sabe manter o tom e cantar “Águas de março”. Não é defendendo, mas vai la e toca e canta como a Lucy que eu irei aplaudir. Valorize sua terra e seu país. Ops, ele valorizou o seu país, afinal #EUA bombou.

        • Olha me desculpa ele não canta mal…inclusive dos finalistas era o mais afinado…sou formado em música e disso eu entendo então antes de julgar vai estudar um pouquinho pq falar mal é fácil quando vc não entende do assunto ;*

          • Parabéns Rodolfo é exatamente o que eu penso com relação a esse assunto, ele Sam é um excelente cantor, quanto ao fato de se cantar em inglês e com o dito “modo americano de cantar”, o programa chama-se The Voice Brazil e não A Vóz do Brasil, o que vocês acham, heim?

          • Você vai me desculpar, eu estudo canto lírico e técnica vocal há 8 anos. O cara me passa a vida toda nos Estados Unidos estudando e só sabe fazer falsete!? Sam Alves é extremamente estacionado, se pegar todas as apresentações dele não tem nenhuma evolução.
            Pedro Lima por exemplo, nunca tinha subido num palco na vida e nunca teve uma aulinha sequer e conseguiu evoluir muito mais que o tal queridinho, se bem que pra mim todos que mereciam ter ganho já tinham saído mesmo.

        • Olha só Jana, ”desafinou do início ao fim” ?? Você não entende p**** nenhuma de música, ele foi super afinado, pode sim receber várias críticas por cantar em inglês e blá blá bla, mas afinação ele tem! E falo mais, quem critica aqui é porque não sabe fazer melhor! Qualquer um pode se inscrever no The Voice, mas dar a cara a tapa ninguém quer né? Acha que ele não tem talento? Vai lá e mostra o seu! Sam tá mais que certo de correr atrás do sonho dele!

        • voces nao sabem o que ele passou pra ter ido morar no exterior, nao sabem o que e ter
          voz, nao sabem admirar um talento incomparavel, um ser humilde, e q canta de coracao, resumindo… Sam voce esta onde esta por ser incrivel e por a maioria dos brasileios terem acreditado em seu talento superior onde so quem elogiou assim como eu desde a primeira apesentacao sabe admirar uma musica bem apresentada, e digo mais a audiencia do programa foi la em cima gracas ao Sam, enchia os ouvidos! que nem disse lulu: aos brasileiros mal agradecidos… “” voces nao sabem nada “”.

          Essa temporada arrasou, obrigada Sam por encher nossos ouvidos com seu timbre e voz facinantes..

        • A Lucy canta bem? Galera precisa estudar um pouco mais de música. Pode ser instrumentista das boas, mas desafina para caramba. E conectada a uma música brasileira for export que não se faz mais.

        • Pelo comentário vc só pode entender mesmo de música, o Sam desafinou do início ao fim eh.kkkkk Podem dizer qualquer coisa, não gosto do estilo dele, das músicas que ele canta, mas que ele canta mal, isso aí ele não faz n viu, quem realmente entende de canto pode dizer!!!

      • Sam Alves nao é COVER, nem nunca vai ser… A voz dele nao se compara a de ninguem!
        E naminha opiniao, qualquer um dos outros 3 finalistas poderiam ganhar o the voice BRASIL (como estão enfatizando).
        Mas o Sam Alves, superou todas as vozes… Nada se compara!
        Nao falo isso porque virei fã, jamais…. Sou pelo justo!
        E o que é, deve-se ser dito!
        Sam arrasou!!!
        NUNCA… Nunca fui fã assídoa de nenhum famoso ate hoje, de comprar revistas, CD’s e tudo mais… Mameu coração se rendeu à ele.
        Simplesmente perfeito!

    • ADOREI seu comentário! Também acho muita hipocrisia ficar criticando o garoto só porque ele foi criado no EUA e canta em inglês! Onde está escrito que é proibido cantar outra língua no programa? E assino embaixo quando você fala de Luana Camarah, ela SÓ cantou rock e em sua maioria em inglês e não vi ninguém criticando, pelo contrário, só aplaudindo por ela cantar muito bem aquilo que todo mundo já sabe que ela domina, o rock! Se acharam ruim que o Sam Alves ganhou, deveriam ter votado mais na Lucy Alves, pois, os mesmos que reclamam da vitória “americanizada” do Sam, certamente, nada fizeram para contribuir com a vitória da Lucy e, portanto, deveriam se calar ao invés de, agora, depois do programa concluído com sucesso, diga-se de passagem, ficarem reclamando. E digo mais, muita gente, incluindo Lulu Santos e a Tv Globo, tentaram o tempo inteiro fazer de Pedro Lima um vitorioso, exagerando nos aplausos, no choro forçado e nos elogios, quando no programa tinham muito mais candidatos melhores que ele e que foram eliminados precocemente. Achei justo a vitória sim!

    • Concordo em parte. Mas toda a forma pela qual se desenvolveu o programa leva a crer que existe um perfil determinado de vencedor, não buscam somente uma voz, mas um perfil. Não perco tempo nem dinheiro votando, pois não creio no poder de decisão do público, há uma decisão da emissora. Gosto de assistir ao show, coisa cada dia mais rara na TV com profissionais consagrados, na realidade se buscassem uma voz Lucy Alves não teria ganho de Marcos Lessa, talvez a única voz marcante de todo o programa.

      • Concordo com você também Rose o público não tem poder de decisão, Heverton é outro também que não deveria ter sido eliminado tão precocemente, arrasou com sua performance em todas apresentações.

        • Concordo com voce Ana, porém de uma maneira positiva ao programa! É óbvio que para ser o ganhador do programa, o participante terá de possuir uma série de atributos, como: Aparência arrumada, bom timbre de voz, postura no palco, carisma… Esses atributos, nessa segunda edição do The Voice existiu em quase todos os participantes, o Sam ganhou porque além de todos essas qualidades, a voz dele era mais bonita na opiniao de grande parte dos Brasileiros, a quem diga que torcia para outros candidatos, e nao há problema nenhum nisso, mas o fato é que a voz do Sam é perfeita, e ele é um artista completo e é isso que o programa busca, e o Brasil também, eu por exemplo sou muito exigente… agora Zélia Duncan quem é mesmo??? Nunca comprei um cd dela, e a única vez que vi uma apresentação dela em um programa de tv, ela cantou uma música regravada!!! Acho que essas “pessoas” não me refiro a voce Ana, deveriam parar de criticar o talento desse rapaz, e se preocupar por exemplo com as enchentes que devastaram o Espirito Santo isso sim, ajudaria muitas pessoas…

    • Aos críticos de plantão só tenho duas coisas a dizer: Sou músico e professor de técnica vocal e digo com toda convicção: Sam foi muito superior. E sobre O Fato dele cantar em inglês: ele mora lá, estuda música lá, é o mundo dele. Estar num lugar onde oferece todo o estímulo para alguém que quer crescer na vida. E antes de falar besteira, se lembre que o nome do Programa é “The Voice” (inglês), uma franquia AMERICANA.Deixem de hipocrisia. O cara cantou bem em 2 linguas diferentes. Ele fez isso pq sabe e isso é um fator muito importante na vida de um musico. O cara é um monstro!Muito merecido.

    • FICO PERPLEXO COM AS CRITICAS AO SAM POR CANTAR EM INGLES, POIS SE O PROPRIO THE VOICE BRASIL ESTA ESCRITO EM INGLES E E UMA FRANQUIA GRINGA, NO BRASIL NAO CRIA NADA SO COPIA DE FORA, E OS CRITICOS ESTAO E COM DOR DE COTOVELO POIS DESSES QUE CRITICOU NEM UM CANTA ISSO TUDO, ESCOLHER A MOÇA DA SANFONA BELEZA ELA TAMBEM CANTA MUITO, SO QUE MUSICA NORDESTINA NAO FAZ SUCESSO EM TODO PAIS, SE ELA FOSSE A VENCEDORA E FICAR SO NO SEU ESTILO LOGO LOGO NINGUEM SABIA QUEM ERA ,SAM TEM UM PERFIL DE CANTAR POP QUE E O QUE VALE NO BRASIL.

  2. Sinceramente, se é pra falar mal, não escreva!
    As pessoas não são vitoriosas o tempo todo. O cara não deu sorte na edição americana e veio tentar aqui. Se as regras permitem e o público gostou, qual o problema do cara ganhar?

    • O problema? Se você acha legal o povo brasileiro dar valor a cultura alheia e não a sua própria, se você acha legal o cara ganhar em votos, votos esses que posso garantir que metade, se não mais, não sabia o que a música dizia, ai você entra pra mim nessa metade. Você se quer percebeu a crítica do artigo. Acho que o “buraco” é mais embaixo do que simplismente criticar o sam.

      • É complicadíssimo se posicionar unicamente em favor de uma Cultura Brasileira como se houvesse, de fato, algo tremendamente grande para defender. Enquanto a senhora critica o suposto anti-patriotismo do cidadão acima, você, supostamente patriota e apreciadora da terra brasilis, peca com seu maior bem transtemporal: a grafia correta da língua portuguesa. É puro descrédito, caríssima.

    • Acredito não ser este o que está em discussão, Bruno. Acho que é fato das pessoas cantarem muito músicas americanas e não levarem ao palco interpretações brasileiras, isso é problemático. Nós leva a pensar porque num programa onde a ideia é consagrar/legitimar/valorizar a música brasileira, o novo ou a nova voz do Brasil, escolhemos (?) uma pessoa que canta exageradamente músicas americanas?! Isso eu me questiono o tempo todo. Não sei dizer se ele é bom ou mau cantor, mas, será que ele é a voz brasileira? Representa o Brasil?

      • É tanto blá, blá, blá. Por que o nome do programa então não é A VOZ DO BRASIL? Faz-me rir com esses comentários. Torcia pelos nordestinos independente da ordem. Feliz porque Sam levou esse THE VOICE BRASIL. Quem se incomoda pede pra Globo mudar as regras.

        • O NOME NÃO É A VOZ DO BRASIL PORQUE BRASILEIRO É TÃO PREGUIÇOSO QUE TEM ATÉ PREGUIÇA DE TRADUZIR…KKKKKK O MESMO PROGRAMA NO MEXICO CHAMA-SE ” LA VOZ MEXICO…KKKK

  3. Perdemos Brasil, por não termos reconhecido a talentosa Lucy Alves, cantora arretada que canta coisa nossa, que nos diz respeito, que está no sangue e que infelizmente teimamos em não valorizar.
    Uma pena.

  4. Não esqueçamos também do Marcos Lessa, com a voz da envergadura de um Emílio Santiago e com um repertório pra lá de bom gosto: arrastão, travessia, etc

  5. Não gosto desse programa. Não gosto do diretor, não gosto do apresentador, não gosto dos ‘técnicos’. Também não gosto de ‘franquias’ (importadas). Não gosto do título/do nome do programa (em inglês).

    E a escolha por músicas estrangeiras sempre me incomoda muito (apesar de eu ter sido professor de inglês por vários anos).

    Mas, independentemente de disso tudo, o mais relevante é o golpe baixo do tal Sam Alves. Candidato obviamente mais fraco dos quatro finalistas, escolheu uma música (“Hallelujah”) que certamente arregimentou os votos da maior parte dos evanjegues do Brasil. Para gente dessa laia, a verdade, a ética, a qualidade não importam; o que importa é o proselitismo, o que importa é o apoderamento, o que importa é ocupar os espaços (no Estado, na mídia etc.), o que importa é assumir o controle da sociedade.

    As eleições 2014 estão chegando. E espero que a população brasileira saiba escolher melhor seus representantes. Precisamos de legisladores e governantes com compromisso com o país (e não com o proselitismo mais rasteiro).

    O Brasil está correndo sério risco de se ‘medievalizar’…

    • Concordo com quase tudo, menos com a parte do “evanjegues”, esse generalismo burro ainda vai provocar uma guerra. Para que isso? Você acredita mesmo que que os evangélicos vão votar em alguém somente porque cantou uma música?
      Se você acredita nisso, só posso lamentar, porque é normal hoje atacar algum segmento pertencente a alguma minoria.
      E pessoa como você, que segrega um segmento, quando diz “gente dessa laia” é que pode “medievalizar” o nosso povo.
      Reflita sobre respeito, pois você está precisando muito…

    • Tento sempre respeitar as opiniões , mas voce desviou totalmente o assunto , imbecilidade total.
      O seu padrão fica bem claro , não precisa nem comentário!

    • prof. Klinger Ericeira, primeiramente não sei porque se intitula como professor se nem ética você possui. Além de não ter ética quando chama evangélicos de evanjegues, por apenas possivelmente não concordares com o modo de vida ou crença que estas pessoas possuem, desconheces também nosso falho sistema eleitoral onde quem escolhe nossos representantes não somos nós, mas sim asas compradas pesquisas eleitorais. Fraude nas urnas é algo que acontece em todas as eleições!! (ou você acha que a China com toda sua tecnologia não teria desenvolvido algo melhor? Você acha que Dilma ganhou o segundo turno? Tens duvidas de que ganhará as proximas eleições? hehe
      Cara, com todo o respeito, mas antes de publicares qualquer coisa na tua vida, pensa antes, pois alguém que se considera professor ensina no mínimo ÉTICA e MORAL para as pessoas, mas como você pode ensinar algo do gênero se nem as possui.! Não critico sua opinião, apenas tenho o direito de expor a minha sobre a sua já que criticastes de modo infantil e impensável os evangélicos. Um abraço

    • Primeiramente “Professor” acho que você deveria ter mais respeito em seus comentários em sites que são visitados por muitas pessoas. Se você não gosta de nós, evangélicos pelo menos respeite nossa religião . Segundo, quem corre o risco de medievalizar o Brasil são gente da SUA laia, que não tem o mínimo respeito com as pessoas,, só porque tem uma religião diferente da sua. Terceiro, “Jegue” e você que acha que tudo o que acontece de ruim no pais e culpa dos evangélicos, sendo que nós somos uma minoria. Quarto, se você acha que nós somos tão medievais, certamente você não olha pra suas atitudes que são muito piores. Espero que Deus possa ter misericórdia sobre a tua vida.

  6. O que eu vejo aqui é uma reportagem sobre gosto pessoal e não avaliação técnica na voz. Talvez, da próxima vez seria aconselhável conversar com um professor de música. Eu adorava o estilo da Lucy e como ela valorizava a cultura nordestina, mas cá entre nós, seria um fiasco se ela tivesse ganho, apesar da apresentação na noite final ter sido ótima, ela é a que apresenta menos técnica vocal entre os quatro. Na questão da voz e das técnicas, Sam Alves era o melhor (e creio que era isso que o programa buscava), já em questão de exaltar nossa pátria e nossa cultura deixava a desejar -mas não era isso que o programa buscava-.

    • Menina, as musicas são escolhidas mesmo pelos candidatos? Na penúltima apresentação a lucy cantou um frevo que até eu me saio bem. E olhe que sou péssima… A produção está nas escolhas das músicas, em quem se apresenta primeiro. Fizeram o possível pra desvalorizar cada um dos tês que não ganharam e justamente o oposto para o Sam. ele foi pato tanto quanto nos e os outros. Só que pato com um tanto mais de dinheiro no bolso. Fato êh que a qualidade da produção brasileira êh péssima. Contrangedor.

    • KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK,lucy tinha menos tecnica vocal????????? putz essa doeu. ah por favor… não acredito que usar falcete seja tecnica vocal como faz o SAM…kkkkk

    • Técnica? Sam? Com aquela voz anasalada, toda na cabeça, com notas longas em intervalo de quartas justas (vibrando como um liquidificador)? De qual técnica você está falando? Porque se for da vocal, você está plenamente equivocada. Eu não perco tempo assistindo programa que valoriza esse jeito horrível de cantar, mas como o Brasil inteiro está falando resolvi assistir, resultado: só revalorizei meu ponto de vista. É terrível que uma pessoa que vai ser chamada pela Globo e pela mídia de “a voz do Brasil” só cante em inglês, com uma dicção péssima, com uma voz anasalada, que desafina do mi para baixo (se não sabe o que isso significa, procure no google) e que quando dá um agudo, a voz fica emboloada na cabeça. Não tenho nada contra o rapaz, apenas acho que algumas aulas de técnica vocal fariam um bom efeito, pelo menos para ele parar de cantar em quartas justas e tirar a voz do nariz. Quanto ao programa, sem comentários.

    • Bruna…vai estudar um pouco de TÉCNICA VOCAL. Vai ver que você aprende e consegue notar o tanto que o Sam Alves conseguiu desafinar nas suas músicas. Faço minhas as palavras de um conhecido “Por isso esse tipo de programa não tem credibilidade. O cara mostra uma versão piegas e desafinada de Jeff Buckley e ganha… Ainda estou contando desafinadas nessa última apresentação. E outra: voz do BRASIL cantando Bruno Mars? Falou!” “Aonde ficam as nossas raízes?! Não falo só a do nordeste. Mas um todo. Alienação midiatica ainda toma conta fortemente da população.”

    • Adorei seu comentário Bruna. O que há pra dizer é que o recalque bate e volta nos cachinhos de Sam. Dane-se se a Lucy perdeu. O público quem escolhe não é mesmo?
      E quem não gostou, aceita que dói menos.

  7. Não considero o Sam Alves, o melhor cantor desta segunda temporada do ” The Voice Brasil “, mas na noite de ontem Ele conseguiu ser o melhor entre os 4 candidatos.

  8. Até concordo que o rapaz cante bem e que comercialmente possa ser uma aposta, mas acho que deveria ser obrigado a só cantar músicas brasileiras, nem versões deveriam permitir. É muito difícil avaliar a dicção se o cantor pode escorregar no inglês e nós não percebermos, afina apesar de ser “the voice”, é a edição do Brasil. Eu particularmente me encantei demais pela Lucy, não só por ser ótima cantora e de uma estonteante beleza bem brasileira, toca muito e poderia ocupar espaços que estão vagos na MPB. Mas como tudo é negócio é esperar para ver.

  9. Gosto muito de tudo que é publicado aqui, mas me permita discordar. Sam ganhou pois provou ser realmente bom. Ele não precisa ter uma sanfona nas mãos e cantar musica nordestina para tocar o coração do seu povo, o brasileiro, inclusive os nordestinos, como eu. Complexo de inferioridade para mim é querer empurrar de qualquer forma um estilo de música “tipicamente” brasileiro, que já fez algum sucesso, mas hoje em dia, não funciona mais. Por que Lucy, ou Marcos Lessa mereciam mais? Porque eles cantam esse estilo “tipicamente” brasileiro? Mas qual o objetivo da música? Não é tocar o coração de quem as ouve? Sam fez isso, independente do estilo e da língua que cantou, ele tocou o coração do seu povo, pois escolheu um repertório de qualidade, mesmo não sendo brasileiro, e mostrou-se extraordinariamente bom. Complexo de inferioridade é não aceitar o quanto bom pode ser algo vindo de fora, por acreditar que este estar ocupando o lugar de algo “tipicamente” brasileiro. Se não tivéssemos complexo de inferioridade, enxergaríamos que o nosso estilo musical tem o seu lugar garantido na nossa história, e o novo, não está nos tirando nada, está apenas acrescentando algo a nos mesmos.

    • Alexandre, a música brasileira não “toca” mais o público porque ela não é mais ouvida. Hoje em dia o máximo que se divulga na indústria fonográfica nacional é sertanejo, axé music, gospel e funk. Se houvesse mais gente como a Lucy aparecendo na mídia provavelmente teria mais gente “tocada” pela música brasileira.

      Me desculpe, mas quem não se emociona com “De volta pro meu aconchego” ou “Qui nem jiló” ou é ruim da cabeça ou doente do pé.

      E por fim não, ele não é um ótimo cantor. Ele se esconde atrás de vibratos para impressionar o público.

      • A música brasileira dos anos 70 não tem público. Artistas novos tem que se modernizar, cantar o que as pessoas de hoje vivem e não um saudosismo.
        Por isso fazem sucesso os funks e sertanejos, mal ou bem, estão de acordo com o público.

  10. pobre menina!! a única coisa realmente valiosa do programa. Espero que aconteça com ela o mesmo que com roberta sá que apanhou num programa desses e teve sabedoria de conduzir uma bonita carreira…. mas que foi esquisito foi…… uma pena.

  11. Concordo com o autor e acrescento: teve o dedo da gravadora na escolha do campeão. Se envolveu dinheiro, não duvido que a gravadora deu as cartas. Simples: quem poderia ser o mais comercial dos quatro finalistas?

  12. O programa era pra escolher a VOZ do Brasil, não é sobre cultura Brasileira. Não tem nada a ver ele cantar em inglês. Ele era o melhor. Oque adianta cantar em português com uma voz ruim?

  13. O nosso querido Raul já profetizava “Vamo embora, dá lugar,pros gringos entrar,pois esse imóvel
    está prá alugar…” Para mim, quem deveria ganhar o The Voice era a Lucy, mas infelizmente escolheram o pior dos 4, afora que o processo de escolha e votação é no mínimo duvidoso. Sam teve os seus 15 minutos de fama, mas acredito que vai acontecer com ele a mesma coisa que aconteceu com os participantes do antigo “FAMA”: nenhum deles estourou um hit, ou foram classificados como voz de importância para a música brasileira.

  14. Vitoriosos, somos nós brasileiros que temos uma cultura tão rica, com pessoas que são verdadeiramente grandes artistas, SAM ALVES foi sim merecedor dessa vitória, todos os outros seriam também, porém, ele se destacou, ele se mostrou preparado, isso é o diferencial. Viva a diversidade, viva o nosso Brasil, não falando como patriota, pois não sou. Explico, por que não sou patriota, um lugar que valoriza mais o futebol do que a vida, não merece meu patriotismo, que constrói estádios faraônicos, e não constrói hospitais dignos, para atender uma população que grita por uma saúde melhor, como a do Brasil, infelizmente não tenho como e nem obrigação de ser patriota. Me desculpem os patriotas. Tiro o chapéu para o povo e nossa cultura, reprovo e repudio a falta de zelo que os nossos governantes tem para com o povo.

  15. Que mania do povo brasileiro tem de se diminuir,o cara é tão brasileiro quanto qualquer outro,tem uma história triste e que teve final feliz? Ótimo,mas ele tbm é nordestino e brasileiro. Por isso ele não pode gostar de um outro tipo de música? Ele é obrigada a cantar somente música nordestina? Isso tbm é preconceito. Lá na terra do Tio Sam, eles que não sabem de nada,pois lá é igual aqui, do mesmo jeito que existem Arethas Franklin, exitem Justins,Brithneys.Aqui temos Gal,Ivete,Daniela ,Elba,Vinicius,Tom..Ou seja nós entendemos muito mais de música que eles,principalmente música da alma.Coisa que o Sam fez em todas as suas apresentações,tocou minha alma e de muitos outros, cantando em inglês, portugues,alemão…Música é pra isso dar arrepio.A Luci é excelente, mas não era a melhor voz, ela é a melhor música,e o programa é “A voz”

  16. Qualquer um que ganhasse causaria indignação das pessoas que torceram para os perdedores. Esse texto, inclusive, é “choro” de quem torceu para um perdedor. O concurso é para definir quem canta melhor, independente de tudo o que cerca a vida de cada participante. É por isso que tem ‘audição às cegas’, para os jurados não saberem se o candidato é louro, negro, manco, caolho ou galã, se cresceu no lixão ou em Hollywood. Não torci para ninguém, apenas assisti, mas é inegável que o Sam canta muito melhor que os outros três, que também são ótimos. Ele tem técnica apurada, afinação sem igual, não precisa gritar ou mudar o ritmo da canção, enfim, para mim, o título ficou em boas mãos. Claro que só no futuro saberemos se esse prêmio valerá de alguma coisa, já que nenhum artista revelado em programas como esse vingou até hoje. Torço para que ele seja o primeiro e que os outros três também cheguem lá.

  17. Por mais que eu comungue com uma série de princípios da esquerda (ou seja lá como queiram chamar a “moral” que se propaga por espaços como CartaCapital), às vezes eu sinto vergonha e nojo do que aqui é propagado.

    Essa idiotice de cantar a brasilidade já encheu o saco. Que todos sejam livres pra ouvir o que bem entendem. O programa é espetaculoso mesmo, queriam o quê?

    Se o cara aí em cima acha que aquele boneco de Olinda do Marcos Lessa deveria se destacar em um programa desses, só posso pensar que se trata de um daqueles tiozinhos que era universitário em 1968 e acha que só a juventude dele presta.

    A música é universal: que goste de Bruno Mars ou Dominguinhos, que seja feliz.

    Eu mesmo achei a Lucy Alves extremamente graciosa e talentosa, e o rapaz que ganhou um tanto fraco. Mas aí teorizar bobagens pra dizer como se deve ouvir música é de dar nojo.

    Peçam pra Dilma fazer o A Voz Brasileira no Canal Brasil e só permitam que negros e nordestinos cantem a “brasilidade” pra satisfazê-los.

  18. E lembrando que foi nesse mesmo programa que, na edição anterior, a vitória ficou com a queridinha de vocês – e de fato talentosa – Ellen Oléria.

  19. Que drama, heim! Esses comentários são derrubados se vemos a ganhadora da 1ª edição, Ellen Oléria. É apenas um programa, a música brasileira não morrerá por isso.

  20. Sinceramente, colega jornalista, o requalque é percebido nas linhas em que escreve. Respeito sua crítica, mas partindo do princípio que isso faz parte da sua subjetividade,para mim (e p/ muitos brasileiros) sua opinião não é (nem foi) válida. Sam foi de longe, o melhor!

  21. O que eu acho gozado é que estamos aqui falando de um programa americano, chamado ostensivamente “The Voice”, em inglês, com cenários típicos do universo de entretenimento americano, cujo jurado que mais reivindica brasilidade se denomina Carlinhos BROWN, e vem o autor do texto cobrar senso pátrio de nacionalismos? É, para dizer o mínimo, uma falta de auto-referência gritante.

  22. Qualquer um que tivesse ganho ia ser alvo de críticas, pois há quem se delicie em fazê-lo!! Num instante o cantor que chegou até a final por méritos, é bombardeado por pretensos guardiões da cultura brasileira! Isso é que é enganação!

  23. TheVoiceBrazil não é TheVoiceBrazilianMusic. O Sam Alves é brasileiro, mas um brasileiro que é cantor… e a música não tem barreiras. Se ele canta bem em inglês, por que não explorar o seu potencial? Já forçaram ele a cantar músicas em português sem necessidade. Sinceramente, melhor escolher ele por complexo de vira-lata, do que deixar de escolhe-lo por falso complexo de patriotismo. A maioria simplesmente prefere a sonoridade das músicas cantadas em inglês, ponto. O inglês se tornou uma língua falada no mundo todo, é a língua global. A verdade é, a “nacionalidade” da canção cantada nunca deveria determinar o vencedor, e sim o talento do mesmo! Isso, o Sam Alves tem de sobra. All in all, deal with it.

  24. Cramba,29 milhoes de pessoas votando no the voice e eu sei saber de nada e ainda consegui dormir sossegadamente,tranquilamente,devo ter “trefom’,(sera que escreve assim)aquele treco das panelas que nao pegam gordura,Ouvi dizer tambem que o Roberto Carlos continua nos seus 40 anos de mesma coisa na globo.devo ser um feliz desatento.

  25. Um programa nacional que copia o formato de um programa estrangeiro (americano ou holandês, que me parece) não podia cometeR a “gafe” de prestigiar uma artista que canta música genuinamente brasileira, né minha gente?

    Fazendo minhas as palavras de Frank Sinatra:
    Start spreading the news / I’m leaving today / I want to be a part of it / NEW YORK, NEW YORK.

  26. Uma crítica sem muito fundamento. Não entendo a xenofobia de um paulista quanto a música americana. Quem sabe ele não ouça elas.(pouco provável). Num vejo problema nenhum e cantar inglês que parece ser o coração da crítica. E, talvez a falta de algum sulista(lei-se, paulista) tenha deixado uma parte do público #chateado. Creio q a revista q devia rever antes de publicar determinados comentários.

  27. meu povo vamos, deixar de besteira, SAM ALVES ganhou pq recebeu maior números de votos, e se ele canta em inglês é pq sabe cantar no idioma, e quantas e quantas vezes ele no já cantou em português, agora vcs ficarem sendo besta, pelo amor de Deus, vcs ganham o que com isso?

  28. Caríssimos leitores, um milhão de desculpas pelo atraso em liberar os comentários. Difícil, a essa altura, responder uma a uma suas opiniões, mas queria dizer que respeito todas as opiniões. Algumas delas bastante críticas e, certamente, me farão repensar nos próximos textos. Um pouco recalcado, estereotipado, nacionalista ao extremo, sim, talvez tenha tido um pouco disso tudo nas entrelinhas do texto. Mas também, como apontaram os leitores, uma análise que foge a uma tentativa de não se posicionar, de não dizer o que pensa, de não criticar o mainstream. The Voice Brasil é um sucesso de público e mídia, mas não por isso devemos considerar que tudo o que nos foi apresentado mereça apenas elogios.
    Concordo, em parte, que Sam Alves tenha a melhor voz, o melhor carisma, o melhor posicionamento como astro pop. De fato, em relação à Lucy Alves, ele sabe colocar melhor sua voz. Mas não dá para não notar que ele sabe cantar e se expressar muito mais na língua inglesa do que na materna, o português. Porém, comparem com Pedro Lima, muito superior em sua técnica vocal do que qualquer um dos quatro competidores.
    Passarão anos e ainda poderemos estar discutindo se o resultado foi correto. Assim como não se pode dizer que Ellen Oléria mereceu a vitória. Tantos músicos brasileiros podem, hoje em dia, ser considerados as vozes brasileiras, tão escondidos e ignorados pela mídia, que é impossível dizer se se pode fazer justiça ou não num simples programa. Porém, não deixa de ser curioso notar que lá fora Sam Alves foi rejeitado, enquanto aqui no Brasil tornou-se o melhor cantor de um reality show musical.
    Por favor, continuem a alimentar o debate. Volto depois.

  29. Nossa, anti-americanismo até em competição musical é dose, heim? Qual é o problema em o cara morar nos EUA e cantar em inglês? Complexo de vira-lata quem tem são vcs! Tem que se sentir muito inferior para passar anos batendo na mesma tecla, vendo pelo em ovo o tempo todo. O brasileiro comum, inteligente e que não é histérico por ideologia política não se liga para nada disso, não se importa com o lugar onde o moço mora. Ele cantou bem e ganhou, só isso. O resto é mimimi típico do Foro de São Paulo.

  30. A questão não é o Sam ter perdido nos EUA e ganho no Brasil, a questão passa pela identidade, o pertencimento, por tensões e discussões históricas, muito bem representadas na literatura nacional desde a época do Romantismo. Falta em Sam aquilo que é brasileiro, pertencimento, ser natural de um país, um estado, não torna ninguém representante deste. A final do The Voice trouxe a superfície do discurso os buracos da identidade brasileira, do “complexo de colonizado” que paira o imaginário social. Uma cultura não é purista, é produzida e variante. o que os brasileiros queriam era ver a sua pátria representada de fato. Foi a brasilidade de Lucy Alves que encantou o tempo inteiro. Ela é genuinamente brasileira em sua arte. Sem contar que canta, compõe e toca diversos instrumentos. O Brasil precisa de holofotes em um artista assim, completo e culturalmente seu.

    • Neidinha o problema da identidade nacional eh bem maior que um show importado dos EUA ou Sam Alves. O problema eh o sentimento de terceiro mundo do Brasileiros que sempre elevou outras culturas de primeiro mundo a um status mais alto, mais merecivel de honra… Sam Alves ganhar o the Voice Brasil so faz essa verdade mais evidente… Criticar ele ou o show eh transferir a culpa pra quem nao tem nada a ver. O Brasil tem que que trabalhar no mantimento da sua propria identidade nacional e deve comecar com valorizacao pela
      vida de seus cidadaes pra comecar com vida decente pra todos. Estou fora do Brasil a 33 anos e ja nem me identifico como brasileira porem gostaria muito de ver uma mudanca radical no pais do meu nascimento.

  31. Esse programa para mim foi um fiasco. O objetivo do programa é encontrar a voz. Uma voz diferente, forte, autêntica, que mostre muita personalidade. E infelizmente o que vimos foram os melhores candidatos sendo dispensados em detrimento de outros que foram enfiados “garganta adentro” pela tal Globo manipuladora. A exceção da Lucy Alves, que merecia estar ali, que outros candidatos finalistas tinham essa voz tão especial? Nenhum! Absurdo vermos talentos como Luana Camarah, Dom Paulinho, Bruna Barreto, Rullyanne, com tanta presença de palco, personalidade, segurança e, o mais importante, vozeirão, serão dispensados.

  32. Realmente a Voz do Brasil não será encontrada em um programa de TV. Essa questão de titular alguém como representante da cultura brasileira, nesse caso a partir da voz, não existe. O problema está mais em baixo mesmo, o nome do programa é The Voice Brasil e não A Voz do Brasil. É só a cópia de um programa americano. O Brasil é país colonizado, e por isso consome a cultura alheia, principalmente dos europeus. O objetivo do programa não é dizer qual é a voz do Brasil, é entreter para ter audiência, e isso é feito, enfim. Agora, quer ouvir vozes BRASILEIRAS? Ouça Tom Zé, Adoniran Barbosa, Os Tropicalistas, Os “Emepebistas”, Os Bossa Novistas. Ouça funk. Por que não? O funk nasceu aqui, não é nenhuma cópia. Hoje a voz do Brasil é o funk, é disso que o Brasil ta falando. De resto, quem está falando não é o Brasil. É a Europa, os Estados Unidos…

  33. Os quatro finalistas eram talentosos. A Lucy Alves era mesmo um show, mas acredito que o segundo lugar foi do Pedro Lima (aliás, pelo que via, o marketing global era mais forte por ele que surgiu no Ana Maria Braga e começou a cantar no programa). O Sam tem uma voz maravilhosa. Não pode ser à toa que desde a sua aparição no programa, as suas músicas eram as mais baixadas e nunca saiu desse primeiro lugar. À toa??? Talento não tem língua! Ele pode cantar em tupi-guarani, pano, yathé (são línguas mais brasileiras que português ?), japonês ou tailandês….Acho uma discussão periférica. De fato, para mim, os 4 eram bons. Eu preferia “OS ALVES”: Lucy e Sam. Gosto de programas musicais. Adoro música! Boa música! O Pedro Lima é uma grande descoberta, mas senti que as suas apresentações ontem foram acanhadas… E o Lulu Santos não teve muita generosidade com ele quando da apresentação juntos…. Perdeu por aí…

  34. Criticar o cara porque cantou em inglês? Valorizar a cultura brasileira? Oi? O programa se chama THE VOICE BRASIL!!! Aposto que só não foram chamados jurados americanos porque ficaria muito caro. Hahaha

  35. O mesmo que escreve aqui, dizendo que a cultura brasileira não foi evidenciada, é o mesmo que come hambúrguer no MCDONALDs e veste-se com grife de fora!

    O Brasil é um país cheio de riquezas, culturas e belezas, porém aproveitadas pelos outros! O brasileiro não tem personalidade suficiente e força de marketing para manter a própria cultura. E no terceiro mundo hoje, qual país que tem?

    INÚTIL do Ultraje a Rigor define exatamente o povo brasileiro!

  36. Mas que bobagem. Para mim vira-latismo é temer a introdução de músicas estrangeiras com propostas tolas como a de alguns comentários aqui de “proibir” tocar músicas em outras línguas que não português ou que não sejam do Brasil. Nossa cultura não é tão fraca assim que não possa aguentar a presença de outras músicas que não as nossas, muito menos é tão única assim – sejamos orgulhosos da nossa cultura, não bairristas e arrogantes – que seja a única que vale ser produzida e ouvida. No caso de ontem, o Sam Alves provavelmente demonstrou que tinha mesmo técnica melhor que os outros. Não é o caso de escolher a melhor música, mas o melhor cantor, e ponto final. A Lucy, por exemplo, aposta no elemento telúrico, tradicional, e isso também conquista tanto quanto o apelo religioso da música escolhida pelo Sam, então ambos fizeram uso de estratégias de conquista do público. Ocorre que o Sam foi mais bem sucedido e também, convenhamos, costuma ter – pelo que notei, não acompanhei o programa todo, só alguns capítulos – afinação e precisão no ritmo bem melhor que a Lucy, coisas que são elementos técnicos decisivos. A Lucy pode valorizar nossa cultura, cantar lindas canções da nossa terra, mas provavelmente não tinha a melhor técnica. E aí? Teria que ser escolhida só porque tinha o maior “índice de brasilidade”, e quem escolhe o que é “brasilidade”? Eu, que sou nordestino, digo que brasilidade não é necessariamente só o que é tradicional, muito menos só o que é telúrico, embora eu pessoalmente prefira de longe o repertório dela em vez do mais internacional do Sam. O bairrismo é a imagem do espelho do vira-latismo, porque no fundo acha que precisa supervalorizar o que é “nosso” como se fosse um doente prestes a morrer se abrirmos as portas para o ar que vem de fora. Vamos deixar de reclamações mesquinhas.

  37. DAQUI A UM ANO NINGUÉM LEMBRARÁ DESSE CANTOR MEDIANO – SUBTONA QUE UMA MARAVILHA. POR SINAL, QUEM FOI O VENCEDOR DA PRIMEIRA VERSÃO?
    AH! PARA NÃO SER INJUSTO, APENAS A LUCY ALVES TINHA UM PEQUENO ALGO A MAIS QUE FUGIA DO “SCRIPT”.

  38. Passaram pelo programa excelentes vozes e excelentes músicas. As apresentações que resgataram clássicos da nossa música eram consideradas “chatas” e o candidato desclassificado pela audiência justamente pela falta de conhecimento musical. O resultado traduz o gosto e a cultura musical do povo brasileiro.Um gosto que se adquire mas poderia ser refinado na escola, no convívio social e na família.

  39. E o Dom Paulinho , que não era exatamente humilde , mas inegavelmente era a melhor voz e performance que passou pelo The Voice Brasil ficou pelo caminho…

  40. “The Voice Brazil” (Quanta falta de personalidade!!!) É…, faltou colocar o “Z”, pois em inglês Brasil é com “Z” ou já mudaram? As músicas, que deveriam ser genuinamente brasileiras para, pelos menos, guardar relação com o nome “A VOZ BRASIL” são as mesmices de sempre e com predominância do inglês. Não é que não prestem, mas há uma incoerência com relação ao nome. Isso sem considerar as “graças” sem graça) do Carlinhos e até do Lulu (quem diria…) e a “profundidade” das análises de alguns jurados – Daniel, por exemplo…). A Lucy arrasou desde o primeiro momento quando demonstrou naturalidade, afinação e desenvoltura ao cantar, tocar e dançar. Perfeita! Um programa é um todo e no todo o “The Voice…” ficou muito a desejar. Até o apresentador tornava-se por vezes meio sisudo e parecia não saber entrar no clima e dar o impulso festivo requerido, chegando a repreender, mesmo diplomaticamente, os jurados (e que jurados; e que comentários… salvando-se apenas a beleza da Cláudia). Um pastelão à brasileira e que não convenceu!

  41. “The Voice Brazil”, com Z. O candidato era o protótipo do vencedor, com repertório para acompanhar.

    A música não tem nada de gospel, tradução livre:

    (Alusão a uma passagem bíblica)
    “Você a viu se banhando do telhado
    E aquela beleza sob a lua o derrubou
    Ela amarrou você a uma cadeira
    Ela quebrou seu trono, cortou os seus cabelos
    E de seus lábios arrancou um ‘aleluia'”

    “Talvez exista um deus lá em cima
    Mas tudo o que aprendi sobre o amor
    É como atirar em quem sacou a arma primeiro”

  42. O que? Vocês ficaram indignadinhos por que o cara ganhou? Não gostam do programa? NÃO ASSISTAM!!!
    Cultura nacional? Que cultura? Sanfoninhas?
    Complexo de vira latas não. O Brasil É um vira latas.
    Fosse o mundo uma cidade, seríamos uma das suas favelas.
    Por sorte não pude assistir a este programa, mas a enxurrada de posts no facebook atraiu a atenção. Perguntei no meu trabalho e NINGUÉM assistiu também.
    Deixa o cara faturar a $$$$$$ dele e voltar para os EUA.

  43. Realmente a mídia brasileira é o que nós brasileiros merecemos mesmo. Estamos cercados de excelentes “críticos” que acham que entendem de música e querem convencer os outros disso. Pelo amor de Deus, achar que Lucy Alves era a melhor para ganhar? não precisa nem estudar música para perceber suas notas desafinadas nas apresentações. Ela pode ser uma grande instrumentista, mas intérprete concerteza não é! Não se está no The voice Brasil para julgar pela Brasilidade, mas sim pela VOZ!!! Pedro Lima era a melhor opção??????? um cara que só grita e desafina pra caramba?! Rubens Daniel foi razóavel ao longo da competição, mas nem de longe supera Sam. Sam sim é grande intérprete. É afinado, tem falsetes lindos, te domínio de palco e carisma e ainda tem condições de cantar vários estilos musicais, inclusive música americana. Porque não? quem disse que era proibido ou que ele é menos brasileiro por isso? qdo toda a sociedade brasileira vive usando expressões, palavras e estilos americanizados, ninguém reclama…isso passa batido agora porque o cara canta bem em inglês ele é criticado. Faça-me o favor! Este programa só teve a audiência que teve e essa repercussão toda por causa de Sam Alves. Antes de falar tão mal dele que está apenas começando e tem talento, vão criticar essa “grande leva de bons cantores” que está no mercado hoje como a senhora Anita e Cia.

  44. Nao da pra entender esse brasil….esse cara nao e la grandes coisas, foi desclassifcado logo na primeira fase do the voice USA,entao vai pro brasil e ganha.Como sempre,o brasil sempre sera um pais de terceiro mundo enquanto tiver a rede globo dominando o povo. Essa vitoria desse cara foi tudo armado, ele foi indicado pelo thiago leifet…so pra vcs entenderem melhor…o naldo veio da onde?….a anita veio da onde? ninguem os conhecia, em lugar algum…esses cantores nao conquitaram uma carreira, foram colodos la pela globo….e agora o ganhador do the voice brasil…o povo brasileiro engole tudo q a globo quer….o brasil vai morrer assim !..

  45. Todo mundo fala para valorizar a cultura Brasileira, mas quem escreveu esse post deve ter um monte de músicas inglês no celular. E outra …o Sam Ganhou por ter uma voz comercial ! Não torcia por ele, mas tenho certeza que ele não vai ser esquecido daqui um mês como os outros…Tenho certeza que essa era intenção maior da Globo! A TV que ibope, que vender, estão pouco se “fudendo” para cultura Brasileira, quem liga a TV em qualquer canal, está sujeito a isso…

  46. Bem, esse tipo de artigo dizendo que o The Voice valorizou a “cultura americana”, que mimimimi o Brasileiro não se valoriza, mimimimi, eu já esperava, mas algumas considerações devem ser feitas. Primeiro, o Sam Alves ganhou MERECIDAMENTE sim, porque tem o melhor alcance vocal, porque teve apresentações consistentes, porque tem VERSATILIDADE, porque tem uma voz bonita. Cantou em português, cantou em inglês, e matou a pau em todas as vezes e pronto. Sou nordestina (paraibana), mulher, me emocionei com a Lucy sim, mas, por mais linda, talentosa e etc que fosse a moça, e é, ela não foi uma cantora versátil, ela foi uma cantora de FORRÓ todo o programa, e o que o The Voice BRASIL procura é algo que englobe tudo, e não uma parcela do povo brasileiro ou um ritmo só. Deve ser um cantor que se arrisque, se reinvente, se ultrapasse, ela se manteve em uma zona de conforto o programa inteiro, sendo que, inclusive, na versão americana, há uma tendência a não se escolher cantores que cantem apenas um estilo musical, e sim alguém com capacidade de surpreender e se reinventar. Porque não colocaram a moça pra cantar uma MPB? ou um chorinho? ou um samba? ou um rock nacional? Assim veríamos a versatilidade da artista e sua capacidade. Sobre a língua, é de conhecimento de todos que estudam música que o português não é um idioma sonoro, ele é dificílimo de cantar e não flui tão bem quanto o inglês ou o espanhol, por isso, cantar em inglês as vezes é mais fácil, o que não faz de uma pessoa menos ou mais talentosa. O rapaz que ganhou tb é nordestino, brasileiro, e porque morou fora deixou de ser? Porque cantou músicas que estão na moda, deixou de ser? Era o melhor da noite, fazer o que? O que deveria ser preocupante é que tanto a Lucy quanto o Sam, ou quem ganhasse o programa, DESAPARECERÃO sim, e sabe o porquê? Porque pra fazer sucesso no Brasil, não vale uma bela voz ou talento, e sim uma letra NOJENTA, um apelo popular TOSCO, um estilo asqueroso e um ritmo dançante e superficial, como o que temos por aí. O que deveria preocupar não é o povo escolher Sam, mas sim esse mesmo povo não dar chance para bons artistas e sim pras Anittas, Gusttavos Lima, Luans Santana e MCs porcarias da vida….isso sim deveria preocupar!!!

  47. Em qualquer concurso de musica nos Estados Unidos, quando um concorrente canta uma musica em lingua estrangeira, ele eh extremamente aplaudido. Aqui, isso eh motivo de critica e de anti-patriotismo, eu realmente nao entendo, levando-se em consideracao que o mais importante num tipo de concurso como este eh a avaliacao da voz, presenca de palco e criatividade dos candidatos.

  48. Cultura brasileira? MC Catra? A diferença do Brasil para com outros países é que lá fora porcaria existe, porcaria existe em toda parte no Brasil só tem lixo, somos obrigados a gostar de funk, funk nem música pode ser considerado é basicamente a expressão da falência musical e educacional é como o pus de uma espinha. Temos o Samba, pagode, MPB já falecida, esses possuem alguma qualidade quando procurado exaustivamente, e o Blues onde esta? O Rock de qualidade, música clássica talvez? Nada; raros casos, quer afirmar a sua “brasilidade” então preze educação de alta qualidade porque enquanto o Brasil for do funk e de MCs eu prefiro ser colonizado.

  49. Não acho que necessariamente se deve cantar em português, mas discordo que dos quatro o Sam era com mais técnica vocal e também acho que ele n era o pior do quatro. Só que / mim a Lucy foi a menos pior que ficou para a final e mais completa, por sinal a melhor apresentação da noite ontem foi dela. Tem tudo para melhorar sua técnica vocal…mas tem uma voz suave, não forçava e juntamente com a Krystal, os melhores achados do programa, cantoras como elas tem poucas. E acabei de ler que a Universal Music já assinou com a Lucy
    Mas as grandes vozes do programa foi a Krystal, Dom Paulinho e a Gabby.

  50. Acho interessante a diversidade de opiniões, pois só assim chegaremos a um mundo realmente democrata e mais justo. Porém, discordo de muito dos comentários e de pontos do artigo.

    A língua inglesa é mundialmente apreciada, sou Brasileiro e amo a minha língua, mas não posso negar que escuto muitas bandas americanas e britânicas. Vejo que em um programa de tv, mesmo que no Brasil, cantar em inglês não tem nada de errado, até porque as mesmas músicas cantadas nesse programa estão nas novelas, filmes e seriados nacionais.

    Não é porque esse programa, The Voice, é no Brasil necessariamente as músicas cantadas deveriam ser em português, poderiam ser em italiano, espanhol ou quaisquer outro idioma.

    Acho que se o Sam ganhou da Lucy foi pela voz e as performances dele no programa, não seria justo que ele fosse desmerecido por causa da originalidade e força da música nacional presente na Lucy e pelo fato do Sam ter grande influencia norte americana, já que ele vive nos EUA.

    Música é música, seja em português, ou em inglês, ou em japonês ou em qualquer outro idioma.

    Se formos escolher qual música o outro deve gostar, não estamos sendo patriotas e sim um autoritário de idéias e opiniões.

  51. engraçado, os esnobes escolheram a Lucy, que vocalmente era a mais fraca dos três disparado. É só cantava música nordestina. Nunca vi ela cantando nem uma bossa nova, uma música pop brasileira nada. O Brasil também é muito mais que nordeste.

  52. Valorizar a cultura bradileira vai além de cantar durante um programa musicas do Brasil. O que os leva crer que a Lucy continuaria valorizando a cultura bradileir e o que impede o Sam de valorizar esta cultura? Ele cantou o que o concedia uma segurança pata vencer um programa. Afinal este não era o objetivo?

  53. N curto o The Voice Brasil ( a começar pelo ridículo júri ). Essa última edição foi de amargar. O talento está bem distante dos 4 participantes. N passa de um lixo da Globo, e uma cópia mal feita dos programas estrangeiros do gênero.

  54. E pelo que Brown postou Lucy ficou em segundo lugar e o pai falou em uma entrevista que já assinou com a Universal Music.
    Nem sei o que será dos finalistas, na maioria das vezes gravam um cd e a Globo as vezes convida quem ganhou p/ divulgar, como se tivesse incluído no pacote algumas aparições apenas

  55. Os quatro candidatos tinham fraseados óbvios, assim como seus respectivos técnicos, músicos de nível sofrível com exceção Lulu que está pouco acima. O the voice brasil é uma disputa pra conhecer o melhor cantor brasileiro de música americana. Mesmo quando estão cantando em português é a música americanizada que está sendo pessimamente representada. A versão de ‘hallelujah” cantada pelo cearense deu vontade de se enterrar no sofá de vergonha, e o pior foi copiar uma ideia que foi ao ar um mês antes no programa similar americano, neste com ótima execução.

  56. Quanto mimmi…..ele era a melhor voz e pronto. Lucy mais parecia uma cover de Elba Ramalho. O cearense Marcos lessa possui uma vez muito melhor que a dela. Ela sim, “apelou” para o regionalismo e ganhou dele na semi final. E na final, não tinha ninguém páreo ao Sam Alves. Qual o problema de se cantar em inglês?? O cara passou a vida nos EUA. Natural que ele explore isso.

    Essa galerinha que o crítica devia então nunca mais comer pizza, sushi, etc porque não representam a culinária brasileira….Quanta hipocrisia…..

  57. Acho que independente do idioma, o programa procurava “A Voz” e esse menino Sam Alves apesar de cantar muito, não foi a melhor voz; Lucy é o encanto em pessoa mas só… Pedro é o melhor dos quatro, sem dúvidas, mas… Dom Paulinho e Luana Cambará sim! esses se destacaram e foram os melhores dessa edição.

  58. Não acredito que estamos discutindo sobre um programa que pregava o falso regionalismo e que estava preocupado, principalmente, com a audiência. Na verdade, os brasileiros só sabem reclamar, reclamar e reclamar. E, sabem, continuarão a reclamar sobre a vitória do Sam, porque brasileiro reclama de tudo, menos do esgoto a céu aberto que tem na rua de casa.
    As mesmas pessoas que criticam o fato dele ter ganhado, são as mesmas que amanhã ou depois, comprarão produtos vindos de fora (Calvin Klein, John John, Nike, Ralph Loren e afins), vão comer na Subway ou no McDonalds… O fato é aceitar que todas ou grande parte das nossas influências são americanizadas, assim como o programa. Estou cansado de gente pequena, de mente pequena… Pedem tanto para o mundo ser um lugar sem preconceitos, mas acham justo o negro e pobre ganhar simplesmente porque são negros e pobres. Já deu disso. Acho que neste programa, outras coisas estavam em jogo.

  59. Pelo amor de Deus gente… até quando o brasileiro vai desvalorizar, criticar e desmerecer… o Sam ganhou porque canta muito e mereceu mesmo! Ele conquistou milhões de brasileiros com a sua voz, talento, carisma e humildade. O menino tem de fato um brilho especial. Vergonha é ler post como esse, que para valorizar uma pessoa tem que desmerecer a outra, sendo que cada um tem seu talento unico. Os 4 que chegaram na final tem suas particularidades e nao vao ser iguais mesmo. Mas é fato que a estrela do Sam Alves brilhou na noite de ontem e houve justiça! Desejo muito sucesso a esse artista, que a sua estrela continue brilhando.

  60. sinceramente gosto de musicas internacionais, mais a musica Brasileira teria que ser exaltada aqui no nosso Brasil varonil, e o sam não canta grita. todo o Brasil sabe que a lucy foi muito mais Brasil e melhor que todos!!!

  61. Para mim, o mais autêntico e talentoso, BRASILEIRO, foi o Marcos Lessa.
    Como é o nome do programa? The Voice… E não tem quem diga que a voz mais bonita não foi a dele.
    O Sam pode ter os cabelin de miojo e a lingua embolada… Mas só demonstrou algo que os cantores gospel já fazem há muito tempo… Encher um bolo de confete e açúcar até perder o gosto.
    E a raiz? E a profundidade musical?
    Khrystal(sei la como escreve), Marcos Lessa e Lucy Alves até fizeram bem feito… Mas o resto… hunf… BRASIL COLÔNIA… BRASIL IANQUE.

  62. Milton Nascimento cantou em português e gravou Norwegian Wood dos Beatles. Elis Regina gravou inúmeras músicas em inglês, dentre elas These are the songs (com Tim Maia), Can’t take my eyes off you, Yesterday, Gracias a la vida em espanhol, outras em francês, e também em português… Gilberto Gil cantou em português, inglês e francês, várias canções. Chico Buarque cantou em espanhol e francês e em português. Caetano Veloso cantou em vários outros idiomas além do português. E nessa linha, muitos outros artistas usaram da versatilidade do seu canto, e de sua humanidade pra expressar o que de fato realmente importa: a música é universal.

  63. Eu não acho a cultura brasileira a maior das maravilhas, pra mim tem muito lixo: funk, Anita, etc. Mas música americana tem muito lixo também. Eu jamais vou suportar coisas como aqueles rappers, Lady Gaga, Beyoncé, etc.

    Mas eu acho que o buraco é mais em baixo. Esse programa é apenas um reflexo de como a cultura brasileira como um todo está americanizada. A Globo poderia criar um programa próprio, mas ao invés disso preferiu passar uma franquia importada, com o título obviamente em inglês (porque título em inglês é mais “cool”, não é mesmo?)

    E o pessoal fala de universalidade, mas se você prestar atenção todas as músicas de outro país são dos Estados Unidos ou, no máximo, da Inglaterra. Isso não é universalidade, isso é colonização cultural.

    • Primeiramente, você está sendo preconceituoso ao falar de rappers sendo lixo e até mesmo funk (ritmo que deprecio) mas todos eles tiveram sua grande importancia em determinado momento para o povo que o executou, um pouco de historia da musica pode tirar teu preconceito… Mas quanto ao programa…

      É meio obvio, musicas inglesas e americanas sao mundialmente conhecidas. Sem falar que povo brasileiro é preconceituoso. Imagina se o cara cantasse alguma musica japonesa, seja rock ou pop. Ou até mesmo alemã, que nao é tão underground, visto que muita gente conhece hammstein e afins.

      Eu não acompanhei esse programa, por que não gosto de perder meu tempo com a Globo, mas visto que na minha time line do facebook estão enchendo o saco com isso, vim ler essa critica. Todos tem direito de fazer criticas, é claro. Mas também tem que entender que, como muitos ja falaram, isso é um programa competitivo vindo de uma franquia já existente. E talvez o nome nao seja em portugues, pois foi comprado direitos de reproduzir o formato do programa THE VOICE.

      Não creio que tenha sido escolha da Globo valorizar a cultura brasileira, até porque né tem aquele tal de “Esquenta” pra isso ahhaahha (ok, brincadeiras a parte).

      Mas concordo com todos que tiveram essa linha de pensamento igual a minha (ou a minha igual a deles) e acho perda de tempo de vir reclamar de um programa, sendo que da emissora ninguem reclama. A nossa amada TV Globo, que valoriza tanto nossa cultura quanto não manipula opniões. (fui ironico nessa ultima frase, ok?)

  64. Acho que todos saíram ganhando. É uma questão de análise em fração. Cada artista julgado conquistou o público cuja afinidade existe, seja pela personalidade, estilo, cultura. Enfim, Apelos, apelos sempre existirão, pois, trata-se de um jogo, de se sobressair, de ser um bom jogador. E outra, nosso idioma é formado por uma vasta influência estrangeira. E, por isso, também, consideremos a globalização. Aqui ou acolá, o bom vencedor será aquele que saberá aproveitar estes créditos que a visibilidade e as orientações do TVB o proporcionaram. Não há como agradar a todos. Por isso a fração, a democracia. Votos determinam um aglomerado de semelhantes.

    • Concordando. Ah! não tenho certeza que Sam “apelou” em sua escolha final. Ele homenageou Claudinha na semifinal e achei coerente encerrar sua participação louvando ao criador. Não negou sua “origem” e tem mesmo que agradecer à Deus, porque se depender dos homens “cultos” tá ferrado.

  65. Meu Deus, o objetivo do programa é escolher a VOZ ou quem toca mais instrumentos, ou seria em que língua está sendo cantado ao meu ver se o problema é origem etc etc e não a voz… poderia ter sido até em linguagens de sinais… com todo respeito,mas é a VOZZZZZZZZZZ.. e será que todos que criticam faz algo realmente com objetivo de valorizar o Brasil???????????????????? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk tenho certeza que a maioria nunca fez uma reclamação em prol de direitos de cidadão kkkkk mas escrever é fácil né???????diz o ditado: o papel aceita tudo…e depois e a democracia? e será que a globo foi de casa em casa pedir pra votarem????????????o inocência viu

  66. Credo! É o preconceito fazendo história e dando ibope em todos os fóruns. Caramba, caramba, caramba! É isto que nós queremos? Desvalorização da competência brasileira é o que mais tenho visto: tudo no The Voice Brasil é um lixo. Este bloguinho não teria espaço, caso a qualidade fosse a matriz das discussões. Não é o idioma que está em baixa, mas a diversidade.

  67. devo estar doente pois nada, rigorosamente nada do que é oferecido pelas TVs prende minha atenção. assisto às vezes programas da TV Minas, o de literatura (imagem da palavra), o de música (alto falante), o tal “diverso”, e o que TV Brasil produz e é transmitido na estatal mineira. cada vez mais deixo a TV desligada e me contento com a internet. quanto à rede globo, me poupem: desde jovem nem os slogans, nem as vinhetas eu suporto. é muita desgraça!

  68. Ok, o garoto não cantou nem samba, nem forró, nem bossa nova….etc etc……mas se a questão é essa, e o programa se chama “A VOZ”, como queriam que Lucy Alves fosse a vencedora. Qualquer cantora de banda de forró, faz o que ala faz e muito melhor. O prêmio não era para a melhor “tocadora de sanfona”. Inacreditável mesmo foi ela ter eliminado o Marcos Lessa, esse sim, a “VOZ”desse programa. e que como os “puristas”querem, só canta música brasileira e de qualidade.

  69. A Bruna lá em cima pediu uma opinião profissional, lá vai. Sou músico arranjador e multi instrumentista, leciono há 17 anos e trabalho com bandas, orquestras e corais na minha região (Vale do Paraíba).

    Não concordo com a vitória de Sam Alves, não pelo sentido de patriotismo nem nada dessas baboseiras que estão falando.

    Musicalmente ele é um rapaz afinado, possui falcetes fortes e afinados, mas mostrou irregularidade nos repertórios propostos, foi risível a versão dele de Pais e Filhos.

    Em inglÊs ele possui muita segurança, já em português ele deixou muito a desejar, o oposto de Luana Camarah que foi citada por alguém também, que mostrou regularidade em todas as apresentações.

    Dos quatro a que manteve a regularidade na qualidade técnica e na execução do repertório proposto foi de fato Lucy Alves, surgirá a questão: Nossa mas ela só cantou música regional… Mas é onde o técnico percebeu que ela estava segura e se destacava.

    A Técnica de Sam não teve o mesmo feeling, só resta mesmo acreditar que ele venceu pelo apelo estético e comercial.

    Não sou extremista, nem estou aqui para levantar bandeiras, mas a Lucy além de beleza mostrou personalidade, coisa que nessa final foi escasso. A julgar apenas pela apresentação da final, Sam também não levaria.

    Não odeio americanos nem morro de amores, expressei aqui minha opinião profissional. Sam foi sim inconstante, outros que cantaram repertório misto se deram melhor e foram regulares.

    Por questão de justiça, na minha opinião na apresentação de Pais e Filhos ele já teria saído, assim como Dom Paulinho Lima foi eliminado.

  70. Eu não acompanhei o The Voice Brasil. Só que, diante tantos comentários sobre o programa, inclusive nas redes sociais, tive que assisti a alguns vídeos sobre o The Voice. O que me incomoda, no texto acima, é o fato dele ter argumentos que beiram a xenofobia. Em uma sociedade plural, democrática e inclusiva, não cabem declarações do tipo: ele não pode cantar em outra língua ou ele é estrangeiro, por isso, não poderia ter vencido. Infelizmente, observei declarações parecidas em vários comentários aqui. Temos que valorizar a cultura nacional. Porém, nenhuma cultura nacional é hermeticamente fechada a influências externas. A cultura brasileira é o resultado da assimilação e resignificação (antropofagia cultural) de vários elementos identitários de culturas estrangeiras.

  71. The Voice e as acrobacias vocais
    Não me incomodam as acrobacias vocais. Acho que em alguns tipos de vozes e músicas até funcionam, o que me incomoda é quando forçam a barra em uma voz que não tem capacidade de tal acrobacia e quando querem impor tais acrobacias a música brasileira ainda mais de uma forma americanizada.
    O The Voice é sim um produto dos gringos, mas tem o dever em sua edição local ser algo da cultural local, pois não faz o menor sentindo “fazer vencedor” um brasileiro plagiando a cultura americana.
    Tá certo que somos colonizados culturalmente pelos americanos e europeus, vide que não sabemos nada que esta nas costas do Brasil (nossos irmão latinos), ha anos babamos o ovo dos americanos e repetimos os formatos deles.
    Para quem a inda não percebeu tem uma febre de cantores brasileiros que tem cantado em “Ingres” na cena local como se fossem as divas americanas, têm umas e uns que até doem os ouvidos.
    Se fosse pra revelar uma voz brasileira com acrobacias americanas o mais certo seria o cara do bigode, pelo menos nele era mais legitimo que nesse outro (Sam), mas esse mocinho é mais vendável, pois seus vendedores não tem que apoiar em nenhum discurso social, ele é branquinho, novinho, enrustido e viajado, é mais fácil manipular quem não tem nenhum discurso né meu povo?
    Bom a Ellen Oléria ganhou a primeira edição, era é negona, gorda, pobre(?) e lésbica, mas que tem a arte nas veias, Ellen era uma das minas preferidas (Ufá! Ainda bem que ganhou.), mas e Ellen tinha muita coisa para mascará, e isso dá muito trabalho para seus vendedores, pois brasileiro só fala que não tem nenhum preconceito, mas internamente tem um Hitler dentro de si.
    Eu me inscrevi nas 2 edições, eu acho interessante a proposta, apesar de achar que arte não precisa de disputas, ou será que precisa?
    Os festivais brasileiros revelaram belos artistas, Elis, Caetano, Gil… eles foram é sempre serão nossos ídolos, mas porque se vestiam e vestem de verdade e eram e são artista ate onde não bate luz e fleches.
    Para nós artistas é necessário (infelizmente) uma super exposição para talvez sair da lama e da humilhação de ter que implorar pra fazer arte nesse Brasil.
    Eu só queria que a verdade artística fosse pautada e que cultura brasileira que é riquíssima fosse levada em conta nessas formas pasteurizadas de fazer música comercial brasileira.

    http://ronnaldomarques.blogspot.com.br/2013/12/the-voice-e-as-acrobacias-vocais.html

  72. Não gosto desses programas que valorizam a gritaria ao invés de canto, parece complicado um candidato ganhar tendo como técnico Claudia Leite, horrorosa!

  73. A única coisa que notei nesse the voice br foi o ego inflado dos jurados. Sam ganhou porque Claudia Leitte soube ensiná-lo a fazer o espetáculo. Chegou como um bom cantor e só.
    Os outros jurados não souberam mostrar a diversidade e o talento dos seus pupilos.
    Lucy foi a maior prejudicada. Pois Brown não soube explorar o talento dela em outros estilos musicais e sair do regionalismo nem soube transforma-la em uma diva no palco!!!
    Dom e Camarrah eram as grandes vozes e ficaram para trás porque não souberam escolher boas músicas.

  74. É simplesmente ridículo achar que, só porque Sam vive nos EUA, não poderia ter vencido. Se outro participante tivesse vencido, iria chover comentários do tipo “Sam não ganhou porque vive nos EUA”… Impossível agradar a todos.
    Na minha opinião, Sam tem uma voz maravilhosa, tão linda que emociona, e desde o início se tornou o preferido da maioria.
    Podemos até não aceitar o resultado, mas precisamos respeitar opiniões contrárias.

  75. Em certos momentos deu até uma vergonha alheia de ver os Jurados “famosos” cantando com os participantes Já se tem uma noção do fiasco por ai … Mas particularmente respeito a opinião de todos Rubens Daniel ainda pode vir a surpreender. Torcia muito por ele !

  76. Onde está escrito que a voz do Brasil tem que cantar em Português! É quem tem melhor voz e não quem canta melhor em português. Sam é o máximo. E será o primeiro nome Brasileiro que fará sucesso realmente lá fora. Esse é o recalque dos artistas brasileiros contra o Sam. Porque está claro que ele vai conseguir o que nenhum conseguiu até hoje. Porque a música brasileira MPB e afins é CHATA! FATO!

  77. Se a vitória de Sam foi merecida ou não, é difícil saber por que são opiniões diferentes. Em relação à ele ter ganhado e na sua maioria ter cantado músicas em inglês, aí complica. Particularmente, acredito que ele não tenha culpa, afinal, nenhuma regra proíbe isso. Então digo que a culpa é toda do programa em si, primeiro que me ofende que o nome do programa seja The Voice Brasil. Por que não A Voz do Brasil? Estão todos lutando por igualdade e blá, blá, blá, depois desvalorizam o nosso idioma. O inglês é sim muito importante particularmente, PRO MUNDO DOS NEGÓCIOS, mas até os nomes em português são substituídos, coisa nossa, por favor, né?

  78. Assistam ao Fantástico de amanhã e depois venham apagar a maioria das besteiras que escreveram. Pegaram o bonde andando e querem filosofar? As pessoas adoram dar prêmio para isto ou para aquilo, mas quem tem que fazer o serviço são os outros. Comandante Rollin já dizia: Democracia é quando eu mando, quando os outros mandam é autoritarismo. Querem valorizar a música nacional? Não precisam da Globo, nem do The Voice(que é importado): apenas comprem música brasileira, cantada por brasileiro, LOTEM os shows de axé, samba, pagode, bossa nova, rock, sertanejo, fank i. Façam isto: FAÇAM. Saiam do discurso e partam para a ação. Eu votei muito para Sam vencer. Tô nem aí para este brasilzinho que querem purificar: parece discurso pra ariano. Bebidas importadas, viagens internacionais, curso no exterior , grifes europeias, carros importados e querem discutir nacionalidade por causa de uma programação COMERCIAL, com objetivo comercial? Não é festival, não. Agora vou plagiar a Val: Heloo! hahaha

  79. Agora n concordo nem um pouco que Sam era melhor que a Lucy em relação a voz…por sinal ela fez a melhor apresentação da final, seguida de Rubens Daniel e fez também apresentações mais regulares do que o vencedor, a que mais deixou a desejar foi na música que cantou na semi final. As vezes as pessoas se pegam em cantores que força firulas, falsetes ou gritos…na maioria das vezes desnecessários.
    Mas claro que alguns que saíram antes como Dom Paulinho, Krystal e Gabby são superiores aos que foram finalistas…só que dos quatro a Lucy era mais completa.

  80. É preciso não entender nada de música para dizer que o Sam Alves era o pior dos quatro. O Sam Alves, por qualquer aspecto que se examine – afinação, colocação, presença, alcance, projeção – disparadamente o melhor entre aqueles quatro cantores. Essa mania de articulistas dessa revista chapa-branca de quererem politizar tudo está tornando a vida cultural deste país uma chatice sem tamanho. Ainda bem que o público brasileiro gosta de música americana, e inglesa, e cubana, e brasileira. Enfim, ainda bem que gostam de MÚSICA. Já pensou se aqui a gente tivesse que viver à base de Sílvio Rodrigues e Chico Buarque? Seria caso de pular da janela de tanto tédio.
    Gosto da Lucy Alves, não por essas bobagens que escreveu esse articulista, mas porque é uma boa cantora e uma sanfoneira razoável. Mas achar que ela deveria ganhar apenas porque é mais “brasileira” é de uma estreiteza de juízo atroz. E não é o caso de que ele, recauchutado, se deu bem aqui quando se deu mal lá nos EUA. Tem a apresentação dele no The Voice de lá, muito nervoso, a voz travada, tentando se soltar mas conseguindo apenas um arremedo, um pastiche de espontaneidade que não convenceu ninguém. Aqui, ele mesmo disse que estava tranquilo antes da apresentação, e arrebentou. Se ele tivesse cantado lá a metade do que cantou aqui teria visto ao menos a cadeira da Shakira se voltar para ele. Mas ficou no meio do caminho. O Sam reprovado nos EUA não é o mesmo campeão do The Voice Brazil. Se esse articulista não consegue enxergar isso, ora, vá continuar escrevendo suas teses esdrúxulas lá na… Carta Capital mesmo. É o único lugar onde basta ser petista e de esquerda para se conseguir um emprego vitalício, não importam as bobagens que se escreva.

    • Ele declarou que teve aulas entre o The Voice EUA e do The Voice Brasil: do lírico para o pop. Tá pipocando por aí esta matéria. Ainda bem que tem gente sensata nesta seara.

  81. HEY MISTER, QUER COMPRAR BANANA ?…POIS BEM, ninguém pediu mas eu gostaria de opinar. Torci para a Lucy Alves, por causa da sua versatilidade e sua música autêntica e brasileira. Na final, então, ela arrebentou, trazendo a Mainha,Painho e duas moças que devem ser suas irmãs. Não adiantou. Ganhou Sam Alves que é bonitinho, fala inglês e que também arrebentou cantando um sucesso gospel, ” Aleluia “. Quem iria ganhar seria Don Paulinho Lima, mas como errou na letra de BR 3, obrigou o Luluzinho eliminá-lo, preferindo Luana Camará que o público preteriu em favo do bigode grosso. E os técnicos ? Não dá prá mudar, não ? Pelo menos o Lulú e o Carlinhos Brown poderiam pegar os respectivos bonés. Que venha o próximo the Voice prá gente meter o pau.

  82. Desde as primeiras apresentações os artistas cantaram músicas em inglês e os jurados apenas discordaram quando o cantor forçava um sotaque americano nas músicas brasileiras. A influência estrangeira não foi negada pelo programa em nenhum momento, então não há como atribuir a crítica a algo que não foi intenção do programa. Porém, na minha opinião, Lucy Alves representou sim o Brasil e minha torcida era para ela. Entre boas ‘aproximações’ de Bruno Mars, Coldplay, Michael Jackson, eu ficaria com a paraibana musicista sem pensar duas vezes!

  83. Concordo com a Rose Silva, se a busca fosse realmente por uma voz, jamais Lucy Alves teria ganhado de Marcos Lessa! Não que ela seja ruim, achei que esse The Voice estava recheado de pessoas super talentosas, com vozes maravilhosas, personalidades únicas…Krystal, Bruna Goes, Kamarah, Rafael, Marcos Lessa! Pra mim, os melhores foram eliminados previamente! Dos quatro que chegaram ali, Sam era a melhor voz! Lucy é talentosa sim, é Brasil, é alegre, mas na minha opinião não tinha nada de espetacular em sua voz, Pedro Lima sou suspeita pq era o que eu menos gostava de todos os que passaram no programa, não entendi como ele foi parar na final, Rubens bom, mas Sam Alves era disparado a melhor voz dos quatro! Concordo que o programa poderia valorizar mais a música brasileira, a começar por colocar o nome do programa em português! Mas devemos lembrar que não são eles que escolhem as músicas que vão cantar…

  84. Para acrescentar uma opinião a esse debate, o texto no link abaixo é do jornalista Kiko Nogueira, do Diário do Centro do Mundo: Antes, eis um trecho: “O programa “The Voice” deixa como legado uma praga sinistra na música brasileira: o oversinging, a exibição de musculatura vocal e virtuosismo estéril que destrói qualquer canção. Não era uma tradição brasileira. É uma herança bastarda do gospel. É o que já fazem há algum tempo, lá fora, Christina Aguilera, Mary J. Blige, Jessica Simpson, Josh Groban, Beyoncé, a insuportável Céline Dion, entre outros. Torturam as notas até não sobrar nada delas, ignoram as letras em prol de um exibicionismo obtuso, matam a pauladas a gentileza.”

    http://www.diariodocentrodomundo.com.br/sindrome-de-whitney-houston-o-virtuosismo-vocal-esteril-e-o-legado-do-the-voice-a-musica-brasileira/

    • Você critica o oversinging (firulas musicais) do Sam Alves, mas diz que o Pedro Lima tinha muito mais técnica vocal, o cantor que mais fez firulas em toda essa edição do The Voice Brasil…
      Que ironia, não?

  85. Não entendo a fundo de música – portanto, não posso falar se fulano tem mais “técnica vocal” que beltrano.
    O que acontece: o programa é mais uma copiazinha dos states. Que é mais um programinha pra ganhar audiência. Que é mais um povinho que vai esquecer o tal “vencedor”.
    Porque, sejamos sinceros: a música é a arte mais valorizada pelo homem. Sendo assim, ela é uma boa cartada para as emissoras que precisam de R$.
    Ora, se o programa tem como objetivo escolher a VOZ, porque diabos o povo, tão leigo quanto eu, deve escolher algo tão… técnico? Claro – a qualidade da voz não importa. O que importa são os cachinhos controlados, a demagogia e o R$ que ganharão as emissoras e rádios. Ou então, o fato de ser negro, nordestino, de cantar MPB.
    E o outro “grande problema polêmico”: cantar em português. “Porque se ele não canta em português, ele não valoriza a nossa cultura”. 6 tão de brinqueichon uite me?
    Que problema há no sujeito cantar em inglês? Ao meu ver, o problema é cantar SÓ em inglês. Tem muita música boa portuguesa, espanhola, francesa, japonesa… e brasileira.
    O mundo hoje é assim: complexo e rápido. Limitar-se à um patriotismo barato que só nos desuniu é pedir para desconhecer o novo.
    Acredito que alguma emissora poderia reerguer os velhos festivais de MPB da record. Botar intérprete, letrista, compositor, músico, tudo junto e misturado. Mas botar NOVOS intérpretes e principalmente, COMPOSITORES. Pois os nossos não mudam há mais de 30 anos.
    Pôr um auditório que tenha VOZ de vaiar um novo Sérgio Ricardo. E aplaudir um novo Chico Buarque. E, principalmente, deixar esses novos artistas mostrarem novas músicas.

    E claro, uma equipe de júris que não sejam tão bocós, tão exibicionistas, tão demagogos quanto os do The Voice.

  86. O programa é ” The Voice Brasil “, se fosse proibido cantar em inglês já tinha que mudar o nome do programa. Todos os finalistas cantaram bem, mereciam ganhar e, mesmo sem o prêmio, conseguiram divulgar o seu trabalho. Daqui pra frente é questão de gosto. Se não gosta do Sam, compre o CD ou do Pedro, ou da Lucy, ou Rubens. Eu compraria de todos!

  87. Talentosa? Cantora?

    Lucy realmente se sobressai em alguns instrumentos ( todos de teclado ). Não é comum vermos “sanfoneiros”. Menos ainda Sanfoneiras.
    Se o programa buscasse instrumentistas, ela certamente estaria entre os quatro melhores. Quiçá a melhor. Mas cantora, sinto muito. Falta um certo “talento” que não se aprende, se tem.
    Daniel – João Pessoa/PB

  88. Creio que todos nós podemos dar opinião sem ofender nenhum candidato. Na minha humilde, acho que todos os que estavam na final tinham condições de ganhar. O que pude perceber é que de acordo com a música este ou aquele candidato se apresentava melhor. No penúltimo programa achei que o Rubem Daniel merecia ganhar. Já no último, os candidatos estavam nervosos e não mandaram seu recado com a mesma maestria que mantiveram durante todo o evento, principalmente Lucy e Pedro Lima. Nunca vai haver consenso após o final de qualquer concurso e a gente só tem que lamentar que vozes maravilhosas, muitas, melhores do que os quatro que chegaram à final, foram eliminadas precocemente. Mas como disse uma amiga minha: não somos técnicos por isto não entendemos o porque de algumas eliminações e nem a permanência de outros candidatos. Se eu fosse jurada teria virado a cadeira para uma jovem negra ( não me lembro o nome) que veio de Itabuna aos 15 anos para o RJ para trabalhar. Ninguém virou a cadeira, mas em seguida entrou uma outra que só sabia gritar e todos se viraram, achei muito injusto. Mas vá entender. Em muitos casos o que prevaleceu foi a potência na hora de gritar.

  89. O problema não é ele cantar em inglês ou português, e sim, ele cantar. Será que só eu ouço a desafinação, falta de técnica e insegurança desse menino???

    Duas a uma..: Ou tenho um ouvido muito privilegiado, ou o Brasil inteiro ficou surdo.

    • Nenhum dos dois. A verdade é que você é leiga e está de má vontade. Seu ouvido é péssimo e não tem humildade para acreditar na terceira hipótese. Desenhando: ou você é melhor que os outros, ou é melhor que os outros. Pior é não ter vergonha de fazer este tipo de declaração.

  90. O choro é livre e o despeito também! Democracia é isso! 43% para uma só voz, dentre 4 competidores. Sam já é sucesso! Doa a quem doer… Hahahahahaha Let’s go, dear Sam! Mostra pra eles que vc veio pra ficar, mostra pra eles que carisma é mais do que uma língua ou uma cultura, mostra pra eles que brilho próprio nem todo mundo tem, infelizmente! #souteamSAM com muito orgulho! O NOSSO representante do Nordeste. E vá aproveitar seus 500mil, enquanto os outros perdem tempo tentando ofuscar sua luz! Bjão pros invejosos! Muah :*

  91. O programa The Voice Brasil, queiram ou não, é o retrato óbvio da música brasileira atual. Eu, como amante da boa música tanto nacional quanto estrangeira, noto sem qualquer tipo de procura avançada que a beleza e o carisma se sobrepõe ao talento MAIS UMA VEZ. Isso fica claro assim que você liga a estação de rádio local: só lixo auditivo feito por pessoas padronizadas para pessoas fracas de personalidade engolirem sem “saborear” pois o gosto não seria dos mais agradáveis. Sam Alves é mais um Luan Santana, mais um Gusttavo Lima, mais um que usa da música um modo de ganhar dinheiro fácil. Eu acredito que a música seja formadora direta de opinião, portanto creio que o que for tocado deva ser bem feito, concordam? Um júri que possui Claudia Leite em sua composição não pode ser levado a sério…convenhamos. A imagem precisa parar de ser usada como fator dominante na música, Sam Alves é a prova viva de que o apelo público está vivo e vai muito bem. Repudio isso, sinto dizer que músicos bons e extremamente são desperdiçados todos os dias enquanto alguns que cantam refrões monossílabos e destroem a mentalidade de toda uma geração são exaltados. VIVA A BOA MÚSICA!

  92. Já li comentários dando a entender que a Lucy n tem voz, que é mais musicista…acho que cantar bem não é fazer firulas, cantar em inglês ou forçar com gritinhos. Fui dar uma no youtube depois de ter visto na final, de encher os olhos o Clã Brasil e ela cantando não só forró/frevo, como outros estilos, até mesmo uma música dos Beatles em que ela e suas irmãs gravaram para um concurso do Fantástico alguns anos atrás..em que fãs da banda de rock rasgaram elogios para a versão que elas fizeram e acharam um absurdo elas n terem ganho(antes mesmo de aparecer no The voice, pena que Brown n aproveitou mais o talento da Lucy. Vejo até por um lado bom ela n ter ganho.
    Se a Universal Music assinou com ela é talvez viu a falta como essa moça no mercado…ao contrário do Sam que tem vários por aí. E p/ mim não necessariamente tem que cantar português, mas já era claro que ele ganharia por tudo como se caminhou desde que anunciaram sua participação.
    Lucy n é nenhuma Beyonce, Celine Dion, Whitney, Mariah Carey, Ivete…mas sua voz suave se encaixa no que canta e só precisa ser mais trabalhada. E como já escreverem dos finalistas foi mais quem fez jus na final e era mais completa, assim como o tal Rubens Daniel

  93. Grande jogada de marketing da Lucy Alves, alem de excelente musica, excelente cantora deu uma rasteira fenomenal na globo. Ja e super conhecida no nordeste, na Paraiba seu estado natal e tem sempre trabalho e shows a fazer, ganhar o A voz do Brasil que por sinal foi traduzido para o Ingles eu nao consigo saber porque (sera que nao mesmo?) ganhar ja nao significava nada para ela, a grande jogada foi ter seu nome conhecido pelo resto do Brasil, eu sabia que ela iria chegar entre os quatro, dai para a frente ganhou o cantor em ingles que eu nao dou um ano e ja ninguem se lembra dele, ja Lucy…foi a grande ganhadora com comerciais de graca na rede globo!

  94. O Sam foi o melhor a voz é linda, parece um anjo, arrepia, emociona…ja tem mta Elba no Brasil, e bigode grosso só cantava bem em inglês, os melhores eram o Sam e o pequeno grande…mas sem duvida sam foi o melhor com ou sem técnica, fala sério

    • Muito bom, cara! Não gosto no nome do programa ser “THE VOICE Brasil”, mas estão desmerecendo a vitória de Sam por causa do idioma das músicas. Ele tem sim uma bela voz. Quem assistiu o programa decidiu que ele merecia ganhar. Se alguém gostou ou não, não vai mudar o fato de que ele venceu, recebeu os prêmios e é a nova Voz do Brasil.

  95. …kkkkkkkkkkkkkkkos comentaristas não se deram conta ainda Wagner Souza que a VENCEDORA realmente do THE VOICE 2014 foi a arretada LUCY ALVES e toda familia, que realmente ninguem mais vai esquecer kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk tao arretada que passou até a Globo pra traz. PARABENS LUCY, voce é a vencedora. Tamujuntus.

  96. Mais um detalhe: está na cara que você não entende do assunto, então explico: a canção de Leonard Cohen é uma canção judaica, fala de David e de seu amor e da música. Logo não é estilo gospel, já que o estilo gospel é evangélico. Mais um detalhe , estude, pois não é versão americanizada , Bridge Over Troubled Water é americana. aff.

  97. Primeiramente, os 4 finalistas nem eram pra estar lá, houve eliminações que formaria uma final muito mais interessante e de valor do que os tais; segundo quem escolhe o vencedor é o publico, e infelizmente devido a todo ludibrio que a midia(Glodo) insere nos incautos, leva a resultados segundo a opção enganada da cultura popular atual. Foi interessante notar as multidões de pessoas reunidas em nome de pseudos-icones do futuro da musica brasileira, pois foi facil notar uma multidão levada pela irracionalidade municipal ou mesmo estadual enclausurada nas transmissões logradas da emissora do plin plin…

    No minha modesta forma de analisar a criticar, tudo é bem projetado pela gestora do programa para se chegar ao resultado esperado, ja que a mesma idealizadora do molde do The Voice, chamada Endemol, é a mesma por tras de BBB(big brother brasil) que todos sabem haver fantasiosas ilusões, que a a emissora cria atraves de da imagem daqueles que são seus preferidos, imagem e linguagem nos faz perder a lucidez em meio a uma irrealidade…Infelizmente hoje a musica realmente de valor do nosso Brasil poucos conhecem e tem acesso, mas acredito que através de singularidades pode-se chegar a grandes mudanças em meio a um meio cultural em tamanha decadencia…

  98. O autor levanta a questão do “complexo de vira-lata” do povo brasileiro. Porém, ao citar que Sam foi eliminado no The Voice USA e criticar sua vitória no The Voice Brasil o complexado é o próprio autor. Pelo que entendi, foi considerada ‘absurda’ a vitória do rapaz em sua terra natal, uma vez que ele fora anteriormente rejeitado pela versão toda poderosa dos Unites States. “Am I right, Mr. writer?”
    Sam venceu merecidamente. Foi o mais afinado entre os quatro e, muito provavelmente, o artista com estilo mais vendável.

  99. Dos 100 álbuns mais vendidos no Brasil em 2013, 52 são em inglês. Se o POVO BRASILEIRO compra música Anglo-saxônica e se sente representado por baladas do Bruno Mars em oposição ao Show das Poderosas da Anitta, qual o sentido de reclamar que ele está sendo antipatriota ao cantar em inglês? A audiência que escolheu o cidadão é a mesma audiência que colocou as músicas em inglês que ele cantava no topo do iTunes Brasil repetidamente.

    Se o jovem brasileiro (público alvo do The Voice Brasil) está insatisfeito com as músicas do Brasil e portanto se volta para a música internacional buscando um produto que o agrade, não é o jovem que tem que mudar seu gosto musical para se ajustar o país, é a indústria brasileira que precisa surgir com alternativas que satisfaçam o consumidor. Ninguém tem “obrigação” de gostar de música em português como se isso o tornasse “mais ou menos” brasileiro. Cada uma que me aparece.

  100. Eu so queria desfazer uma ideia que li aqui: a Lucy nao usou de regionalismo como estrategia p conquistar o publico… ELA SEMPRE CANTOU E TOCOU esse tipo de musica! Pq no programa ela cantaria outra coisa? É o estilo dela, o q ela gosta de apresentar! Se tem muita gente achando q ela deveria ganhar SO pq nos apresenta esse estilo musical lindo, discordo delas, mas adoro a Lucy! Quero ir a seu show e comprar seus discos, acho a voz dela belissima tbm, suave, leve! E acho mesmo que a gente se acostumou com os gritos americanos. O programa tem a proposta de escolha da melhor voz, mas no final o que conta é o melhor ARTISTA mesmo.. Se Arnaldo antunes ou zeca baleiro se apresentassem vc nao os escolheria?

    • Querida Laila, quanto ao regionalismo pressuposto dos finalistas, a verdade é que não foram eles que buscaram tal aceitação, mas a transmissora do programa que iludi o publico sem conhecimento algum, fazendo que os tais não votassem simplesmente pela melhor voz, e sim por tal finalista ser de sua cidade, estado, ou região, concordo contigo quanto a Lucy Alves, que para mim entre os 4 finalistas deveria ser a campeã, pois Sam Alves não teria condições alguma de alcançar 43% de votos, ja que dos finalistas ele era o pior. E no decorrer do programa se nota facilmente as estratégias dos técnicos(rede globo) e produtora, de quem eles vão colocar na final…para isso casam cantores mais fracos com supostos queridinhos para que estes ganhem aceitação cada vez mais do publico, e inserem uma alusão de valores ao iludidos 98% de publico do programa…seria necessario bigode grosso, sam alves, e rubens daniel e companhia esguelar no microfone para ganhar aceitação do publico, se notava que os presentes do programa sempre se levantavam e batiam palmas após uma presentação de gritarias bizarras, lembrando que os decibéis dos ouvidos tem tolerancia(rsrs…), e isso nao foi lembrado pela maioria…acredito piamente que voce tenha um gosto refinado e ludico de musica ja que sua preferencia foi a Lucy Alves que entre os 4 finalistas foi a melhor, e mesmo tendo um publico de 15mil pessoas para acompanhar sua presentação e parecer no telão da globo ao vivo, não foi suficiente….

      musica brasileira não ha necessidade de gritarias esquizofrenicas e caretas teatrais…acredito na sutileza, na vibração, em tons suaves, e principalmente na harmonia dos principios ideias da musica….

      Um Show assim meus ouvidos suportam e consigo dormir relaxadamente depoishttp://www.youtube.com/watch?v=SwUbWkPCmEo

      Agora imagina um show cheio de timbres destorcidos e intrepidez paraguaia, depois fico com sindrome do panico e necessitarei de medicamentos tarja preta pra dormir…

  101. A Globo não tem a menor vergonha de ser colonizada e terceirizar sua colonização para os brasileiros. Quero ver se o “The Voice” nos EUA admite qualquer pessoa cantando em uma língua que não seja a inglesa… Há um complexo de vira-latas, sim. Por que o programa não tem o título de “A Voz do Brasil”? Quanto a Sam Alves, não tinha condições nem de ser semfinalista. Ele semitona geral e desafina nos agudos. Canta ruim, mesmo. Por favor, entendo deste assunto. Sou formado pelo ISEM (Instituto Superior de Educação Musical), na Paraíba, onde, entre outras coisas, aprendi canto e harmonia.

  102. Vencer o tal The Voice ele (Sam) venceu. Quero ver ter aceitação do público com o álbum que gravar.
    Quando a Lucy gravar, tô na fila pra comprar! Arrasou, mulher arretada!

  103. Não acho legal essa super valorização da cultura americana que anda acontecendo no Brasil, não só em relação a música, como em várias áreas do entretenimento, ter referências é bom, mas copiar descaradamente é sim falta de criatividade e originalidade.

  104. SAM ALVES, foi a melhor opção. pois era o unico que cantava pra valer, canta em ingles e portugues….é super afinado….estava mais preparado, com certeza irá cantar musicas que vendem…pelo menos tem aparencia tb…pois é um conjunto….quem vcs queriam que ganhasse a LUCY ALVES????falta voz………….é afinadinha, canta baixinho…não eleva em nada… toca instrumento legal….mas falta mto….PEDRO LIMA???? começou agora…tem que comer mto arroz e feijão para se tornar alguem…..e infelizmente o RUBENS DANIEL, canta musicas legais…mas dá umas desafinadas……………..essa foi a minha humilde opinião…ainda bem que não cometeram o mesmo erro da primeira vez…musica que não vende, chatas…qtas vezes a viram em programas de tv????elen oleria…Ô faça me favor…

  105. Tenho uma teoria: O segredo do The Voice Brazil deve ser analiisado um pouco mais friamente em torno da música “Você existe em mim”, creio que é a alma e o esqueleto do programa tem haver com ela. A uma, foi muito bem executada e cantada pelo brasileiro Sam Alves, eu que nem assistia o programa parei para ver, mas notei que a música embora Claudia Leite ( jurada), tinha elementos americanos, então fui pesquisar melhor, e descobri que era de autoria do Carlinhos Brown, (jurado)e até então pensei, esse garoto foi esperto, e pesquisei melhor, e descobri que na verdade foi arranjada pelo Carlinhos Brown mas os compositores são mega produtores americanos. Josh Groban / Lester Mendez, música que por sinal o Sam canta melhor do que a Claudia Leite e o próprio Josh Groban. E isso me deixou mais curioso, ao ponto de descobri que o Lester Mendez produziu a Shakira entre outros. E então pude notar que essa musica não havia sido ensaiada naquele tempo, ele vinha preparando faz tempo. Tendo em vista as apresentações mornas anteriores ( pois fui analisar também). Mas isso foi a semi final, melhor olharmos agora a final. 1) Tim Maia para um garoto com voz Anderson Silva, Michael Jackson? Aconchego para uma cantora com voz grave? 2) Me pareceu que nesse momento apagaram o brilho dos fortes candidatos, para dar vez, a 3) uma música Hallelujah que para agradar a brasilandia começou em português, tinha haver com a época natalina, e , grand finale em inglês. 4)Essa final, me pareceu um colonialismo americano batendo as nossas portas, de um programa direcionado a um brasileiro/americano, com nítida influência gospel. Me parece que o programa já tinha vencedor desde o começo, e souberam conduzir até o final. No mais fiquei contente de ver um brasil formando cantores de verdade, ao invés de compositores/ péssimo cantores de outrora. E sim, embora a Lucy tivesse um bom produto na mão, e o Pedro ter nascido com uma voz a ser lapidada, o vencedor sem dúvidas, tinha mais estudo, e técnica, pois isso foi ensinado para ele desde cedo. De forma que resta o Brasil incentivar a criação de mais conservatórios, e existem bons resultados a exemplo do Pará, que até hoje o Waldemar Henrique (compositor brasileiro) é cultuado e ensinado a grandes cantores que se apresentam fora da grande mídia nos melhores palcos do mundo.

  106. Quanto mais eu leio estes comentários, mais tenho certeza que as pessoas não acompanharam o programa. Falam sobre o que não sabem e, na verdade, não querem saber, pois preferem teorizar. Defender uma posição e insistem em dizer que o povo é dirigido. Se assim fosse, o bigode grosso seria o vencedor: Ana Maria e Tiago fizeram campanha explícita e só despertaram a indignação de quem já tinha sua preferencia. Venceu? Ao que sabemos, nem ficou em segundo. Dá pra ver o “poder” nefasto da toda poderosa. Ah! Não estou falando da Anita. Pesquisem um pouco sobre o Sam e vocês descobrirão que ele se preparou mais, investiu em aulas(POP), entre o The Voice EUA e o The Voice Brasil. Não houve apenas uma mudança de palco, mas de repertório.

  107. Engraçado como as pessoas criticam o inglês. Pra quê isso? Afinal se você não souber a língua ao traduzi-la ela não vai dizer a mesma coisa que disse para um americano? Na minha opinião todos somos iguais independente de língua, nacionalidade, raça e etc.

  108. DEIXEM DE IMBECILIDADE….O SAM ALVES GANHOU PORQUE TECNICAMENTE TEM VOZ IRREPARÁVEL…NEGUINHO USA HOLLISTER,SE ENTOPE DE BIGMAC ,VAI PRA SHOW DE U2 E PAUL MACARTNEY NO BRASIL.VIVE NA TERRINHA DO TIO SAM E VEM COM ESSE DISCURSO BATIDO …BALELA ..O CARA GANHOU PORQUE FOI O MELHOR E PRONTO….ACEITEM E DIGO MAIS ESSE PAÍS É O PAÍS DA HIPOCRISIA E DO CONTRADITÓRIO.CANTE SAM GANHE ESSA MUNDÃO .CANTE EM INGLÊS,EM JAPONÊS NO RAIO Q O PARTA DO IDIOMA Q FOR PRA CALAR A BOCA DESSE BANDO DE REVOLTADOS Q TEM PRECONCEITO COM NORDESTINO E FICA DIZENDO Q QUERIA Q LUCY GANHASSE .QUERIAM PORRA NENHUMA E MESMO Q QUISESSEM ELA NÃO GANHARIA …O POVO ESCOLHEO O MELHOR E EU FIQUEI FELIZ PRA CARALHO .

  109. Fico triste pelo fato de o próprio brasileiro não valorizar sua música, sim. A menina Lucy com aquele sotaque maravilhoso e toda sua brasilidade me encantou desde o princípio. Acho injustas, porém, as críticas ao Sam Alves. O cara cantou muito bem. Qual o problema de ele cantar em Inglês??? Queriam o quê? Que ele cantasse Funk ou “Na boquinha da garrafa” para mostrar que é brasileiro? Artistas do calibre de Caetano Veloso cantaram em Inglês, e daí?

  110. Muito mi mi, muito recalque. O guri ganhou e pronto. Se o programa se chamasse The artist Brazil kkkkk claro que a Lucy ganharia (apesar do seu excesso de regionalismo bem enfadonho), pois ela é a mais completa, sem dúvidas . Mas como estamos falando do The voice (voz )Brasil e os outros 3 se destacaram mais que ela nesse quesito, acho justo o resultado.

  111. Aff! Complexo de vira-lata? Sério? O Sam? Aham…………… E esse negócio de “Ah, mas o cara só canta em inglês” ja deu, não?! Arrumem outra desculpa. E não vale por em questão a sexualidade dele, porque isso não é motivo. Aliás, eta povinho que faz da sexualidade de uma pessoa o assunto MAIS COMENTADO. Não é possível!!! Ok. Mas deixando esse assunto de lado. O cara canta bem em português SIM. E sim eu acho que ele canta melhor em inglês. Mas isso NÃO QUER DIZER que ele não cante bem em português! Meu, só o Brasil tem isso de “Não cantou musica brasileira?? Então não é bom, não merecia, não devia ter ganhado, mimimimi e mimimi. Eu assisto o The Voice da vários países ninguém fica; “aaah, tem que cantar música nacional e bla bla bla.” Se alguém não concordar por favor me mostre quais são os programas que vocês assistem, porque ai não somos do mesmo planeta… Porque né, só pode. Quanto a Lucy, a menina tem talento, é boa mesmo, um espetaculo. Agora falar que ela representa o Brasil (todo) é demais. Ela representa a cultura NORDESTINA. Porque ela cantou musica nordestina do começo ao fim do programa. E o Sul? Centro-Oeste? O Rio? E Sampa? Pelo amor né gente. Sejam coerentes. Não gostou do resultado? Pode criticar, mas por motivos CABÍVEIS. Se acharem algum. Só pra terminar, essa Zélia Duncan é chata hein. Eta mulher insuportável.

  112. Feito no Brasil: está no face do Sam
    “Eu também quero agradecer a todos que estavam contra eu ganhar o The Voice. Não estou falando de ninguém que torceu por outro participante. Porque eu respeito que cada um tem seu próprio gosto e preferência, e pode escolher por quem torce. Mas falo daqueles que me criticaram pelos meus pais terem me levado para os Estados Unidos quando eu tinha 4 anos, em busca de uma oportunidade para ter viver uma vida melhor do que eles tinham, e por dizerem que eu não sou uma verdadeira representação de um verdadeiro Brasileiro, eu agradeço. Àqueles que disseram que eu não era o melhor cantor e que, portanto, não merecia ganhar: pessoalmente eu não acho que fui o melhor. Mas eu tinha que ser eu mesmo, ser verdadeiro e ser o melhor de mim para que eu pudesse sentir que eu estava representando às pessoas quem eu era e quem eu gostaria de ser. A todos que me julgaram sem me conhecer, que tristemente não podem alegrar-se na felicidade da conquista do outro, e àqueles que disseram que eu ganhar era uma fraude: EU AGRADEÇO A VOCÊS. Àqueles que não podem reconhecer que o Brasil é um país com diversos estilos musicais, variando de Axé, Forró, Samba, Bossa Nova, Pagode, Sertanejo, Rock e Pop, e que qualquer língua cria música, e que não é a língua da musica e nem o estilo que representa um país, mas o amor e o sangue que corre nas veias da pessoa que nasceu lá. Por causa daqueles que criticam, julgam e odeiam, nós nos fortalecemos e dependemos mais de Deus, quando sabemos que não somos aqueles que estão no comando, mas Ele é quem está. Por causa de vocês, também reconheço mais e mais aqueles que torceram por mim e realmente acreditaram em mim, e não me julgaram sem me conhecer. Isso é para eles. Obrigado por me desafiarem a ser mais e mais eu mesmo, e por aceitarem da maneira que eu sou.”

  113. Não entendo a fundo de música, já estudei um pouco no passado e minha opinião é de alguém que gosta o que me agrada. Acho que os quatro finalistas eram bons, contudo meu preferido não era o Sam, preferia a Lucy e o Bigode, mas isso também não quer dizer que eu esteja certa que são os melhores nem que eles representariam avós do Brasil. Como discutir algo profundamente subjetivo?! Acho impossível, assim como acho desnecessário comentários agressivos que buscam “esculachar” a opinião de outros. A competição foi entre eles, nós somos apenas telespectadores com nossas torcidas pessoais. Portanto, posso está insatisfeita com o resultado, mas não significa que estou certa ou errada.
    Em relação a ele cantar melhor em inglês que em português ou, até mesmo, ter sido eliminado no the voice americano, não quer dizer nada, americanos gostam de tantas coisas diferentes de nós. A voz é que é brasileira, não importa em que língua se cante.
    Vamos aplaudir o rapaz, ainda que não tenha sido o nosso escolhido, lutou e alcançou seu objetivo, isso é um grande mérito.

  114. Acho que faz falta um artigo tentando entender o motivo do sucesso deste show de calouros recauchutado. E acho que um artigo analisando o resultado, este não faz falta nenhuma. A relevância dos participantes para a música brasileira é nenhuma. Se e quando eles tiverem uma carreira musical real, dará talvez para falar alguma coisa. Até lá, lamento o tempo perdido pelo bom site Farofafá com este assunto.

  115. Vamos parar de blá blá blá …poxa o Brasil é um país de diferentes culturas além de ser continental de enorme…poxa se o Sam “ganhou” e outros “perderam”, veremos mais para frente. São tantos talentos!!! Cada um tem seu preferido…todos que passaram naquele palco deixaram sua marca. Basta agora analisarmos quem realmente vai ter uma carreira sólida e não ficar no sucesso momentâneo. Para mim todos são merecedores só pelo fato de subirem naquele palco. Fico triste pelo fato de que no Brasil existem problemas tão mais importantes para se discutir.

  116. Mais de 40% de 29 milhões de votos, será que Sam não é melhor? Cantando inglês ou português o cara arrebentou, o programa procura a melhor voz, e realmente Sam é a voz do brasil.

  117. Realmente não era justo o Sam Alves ganhar o The Voice America, o Sam e Brasileiro! Não faria o menor sentido um Brasileiro ser a voz da America! Tenho certeza que por isso as cadeiras não viraram! O lugar do Sam e aqui , na versão Brasileira e foi aqui que ele pode mostrar o seu talento! Eu entendo como a voz do Brasil, aquele que tem talento, e que ama a sua arte! Sam Alves cantou no programa em “Português” e cantou também em Inglês… A prova e tanto que cantar em inglês não era o menor problema para o programa que designaram a ele e a Marcela para cantarem ” A Thousand Years” ou seja, uma musica em inglês ! Sendo assim, a politica do programa e analisar o timbre de voz do participante, e avaliar o talento, postura de palco, boa aparência no sentido de estar arrumado… o Sam , se superou a cada programa e provou que tinha todas as qualidades que o Brasil quer nos seus cantores! E digno de nota, que muitos participantes cantaram em inglês no programa e ninguém criticou, mas como o Sam tem essa luz própria muitos se acham no direito de fazer criticas cruéis, eu me pergunto no que isso contribuirá para o bem da humanidade???? A resposta e obvia: Nada!!!! Precisamos reconhecer que Sam Alves, e um artista completo! Canta tao bem em português quanto em Inglês, e possui um timbre de voz lindo, que emociona… Sam Alves tem o dom de cantar, e isso ninguém vai tirar dele, não importa quantas criticas pessoas hipócritas vão fazer, o talento dele e incrível e aquele que diz o contrario e um leigo! Seria interessante que o autor da critica fizesse um voto de silencio.

  118. Quanta besteira num brasil onde juiza manda prender adolecente feminina na mesma cadeia onde estao apenas homens adultos nao se pode esperar grande coisa desse bando de tecnico de plantao. O fato e que ele e tao bom que teve que pedir penico aqui.

  119. Olha… eu nao concord. Moro nos EUA ja faz oito anos. Conheco brasileiros que vivem aqui que fazem questao de nao ensinar portugues para seus filhos. Muita pessoas da nossa patria amada que vivem aqui acabam esqueceu suas raizes. Sam Alves fez o contrario! Ele mostrou que nao perdeu sua identidade cultural. Nem mesmo tenta camuflar seu sotaque cearence maravilhoso!!! Isso e muito dificil de encontrar, principalmente pela idade com que ele se mudou pra ca. Ele tem talento e demonstrou ser muito humilde e carismatico. Tenho certeza que se ele tivesse escolhido uma musica na qual pudesse ter cantado pelo menos um versinho em portugues, a Shakira teria virado a cadeira para ele. Ela claramente se arrependeu.
    Com relacao a ele cantar em ingles, o proprio programa e uma imitacao total de um programa Americano!!! Por que entao o The Voice Brasil nao se chama “A Voz do Brasil”????

  120. Olha… eu nao concordo. Moro nos EUA ja faz oito anos. Conheco brasileiros que vivem aqui que fazem questao de nao ensinar portugues para seus filhos. Muita pessoas da nossa patria amada que vivem aqui acabam esquecendo suas raizes. Sam Alves fez o contrario! Ele mostrou que nao perdeu sua identidade cultural. Nem mesmo tenta camuflar seu sotaque cearence maravilhoso!!! Isso e muito dificil de encontrar, principalmente pela idade com que ele se mudou pra ca. Ele tem talento e demonstrou ser muito humilde e carismatico. Tenho certeza que se ele tivesse escolhido uma musica na qual pudesse ter cantado pelo menos um versinho em portugues, a Shakira teria virado a cadeira para ele. Ela claramente se arrependeu.
    Com relacao a ele cantar em ingles, o proprio programa e uma imitacao total de um programa Americano!!! Por que entao o The Voice Brasil nao se chama “A Voz do Brasil”????

  121. NOJO DE TANTOS COMENTÁRIOS DEPRECIATIVOS, É POR ISSO QUE O INFELIZ DESSE SITE FAROFA.CARTACAPITAL.COM.BR, NUNCA VAI SER NADA MELHOR NA VIDA IGUAL AOS IDIOTAS QUE USARAM O ESPAÇO PARA DENEGRIR A IMAGEM ALHEIA, VI ALGUNS IMBECIS SE NOMEAREM MUSICOS, PROFESSORES DE MUSICA, QUEM SÃO ELES? NUNCA VÃO PASSAR DE DESCONHECIDOS PARA O RESTO DO MUNDO. FIQUEM COM SUA INVEJA, SEU RECALQUE, PORQUE NÃO CRITICAM OS POLÍTICOS, A FOME E A SECA NO NORDESTE, O ROUBO DA PREVIDÊNCIA, MELHOR CRITICAR QUEM GANHA ALGUMA COISA COM SEU TRABALHO, NÃO É???

    • Concordo com você Joana. Toda vez que leio algum comentário denegrindo esta ou aquela pessoa gratuitamente, fico pensando se estou enganada; eles se conhecem pessoalmente e o que denigre tem algum motivo, o qual não sabemos para ser tão agressivo. O fato deste ou aquele ter ganho o TVB não vai mudar em nada nossas vidas. E discordâncias quanto a quem merecia vencer sempre vão haver. Mas porque tirar o brilho da vitória de alguém só porque não era o nosso favorito. Eu vacilava entre 02 concorrentes e nem por isto fico atirando pedras em quem ganhou. A pessoa está feliz e vem alguém tentar manchar esta alegria. é pena que as pessoas sejam tão mesquinhas não se coloquem no lugar do outro, Poderiam estar de alguma forma numa situação parecida ou outro ente de quem esta pessoa mesquinha gostasse muito.

  122. É óbvio que para ser o ganhador do programa, o participante terá de possuir uma série de atributos, como: Aparência arrumada, bom timbre de voz, postura no palco, carisma… Esses atributos, nessa segunda edição do The Voice existiu em quase todos os participantes, o Sam ganhou porque além de todos essas qualidades, a voz dele era mais bonita na opiniao de grande parte dos Brasileiros, a quem diga que torcia para outros candidatos, e nao há problema nenhum nisso, mas o fato é que a voz do Sam é perfeita, e ele é um artista completo e é isso que o programa busca, e o Brasil também, eu por exemplo sou muito exigente… agora Zélia Duncan quem é mesmo??? Nunca comprei um cd dela, e a única vez que vi uma apresentação dela em um programa de tv, ela cantou uma música regravada!!! Acho que essas “pessoas” deveriam parar de criticar o talento desse rapaz, e se preocupar por exemplo com as enchentes que devastaram o Espirito Santo isso sim, ajudaria muitas pessoas…

  123. Adorei a crítica. Achei ridícula a vitória do SAm. quando cantou em português (pais e filhos, pra variar), foi totalmente sem emoção. Ele é ruim? Não. Mas não tem nada a ver com the voice “BRASIL”. A Lucy, do meu humilde ponto de vista, merecia isso mais do que os outros. Mas eu também torci para o Rodrigo Castelanni, e para a Krystal. Enfim…

  124. A VITÓRIA DO SAM FOI SUPER MERECIDA, SÃO 43% DOS VOTOS, CANTAR ALELUIA NO FINAL FOI UMA ESCOLHA CORAJOSA E INOVADORA, SAIU DAQUELAS MESMAS MUSICAS DE SEMPRE, CANTAR EM INGLÊS E PORTUGUÊS ENTÃO NEM SE FALA, SUPER ORIGINAL SE ARRISCOU , CANTOU BONITO E ENCANTOU. HOUVE UMA TRAGÉDIA NO BRASIL QUE DEIXOU ATÉ MORTOS, PORQUE EM VEZ DE CRITICAR O SAM E TORCER CONTRA O CARA QUE NÃO FEZ MAL A NINGUÉM NÃO VÃO DOAR ALIMENTOS E CONTRIBUIÇÕES.

  125. quem falar mal de sam alves,entra no the voice e faz o que ele fez,precisa ser muito bom gente,a lingua não interessa.o importante é fazer bem pros nossos corações,é deixar a gente feliz e isso ele fez e muito bem.roberto ganhou um premio cantando em outra lingua e ele é brasileiro e dai……………………………………….é sam na cabeça e no coração.to com ele e não abro mão.bjus..pros fãs e pros contras.bjus a todos e obrigada pelas criticas.valeu………….

  126. Até concordo que não faz muito sentido ficar discutindo se a vitória foi justa ou não. Afinal, venceu quem teve mais votos, embora eu não ache justo o esquema de uma mesma pessoa ficar votando várias vezes. De qualquer jeito, independente do vencedor, vai acontecer o que sempre costuma acontecer nestes programas: o Sam Alves provavelmente vai fazer um pouco de sucesso durante um ano ou dois, e depois cair no ostracismo.

    Eu nem tenho nada especificamente contra o Sam, mas eu acho estranho toda essa reverência que as pessoas têm por tudo o que vem dos EUA. Eu só queria saber uma coisa: será que ele, quando estava concorrendo na outra edição, cantou alguma música em português? Umazinha pelo menos? Ou melhor ainda: quantas músicas em outra língua diferente do inglês algum candidato deve ter cantado na versão americana? Não vou me impressionar se ficar sabendo que não teve nenhuma.

  127. É incrível como as pessoas não aceitam a vitória alheia. Se um outro participante fosse o vencedor com certeza também haveria milhares de críticas positivas quanto negativas, é certo então que qualquer opinião é válida. Mais desmerecer uma pessoa só porque mora no exterior ou canta em outra língua, sem contar os méritos de um grande talento é realmente triste. Se ele mora ou não no exterior não altera seu talento. Em nenhum momento, seja em redes sociais ou no programa vi esse menino se enaltecer em cima dos outros candidatos, sempre mostrou uma humildade generosa com todos. Todos já estão cansados de saber que “gosto é gosto”, e temos que respeitar. Desde já espero que Sam Alves venha para ficar cantando em Português ou em qualquer outra língua, porque o que realmente o Brazil precisa é de talentos reais, já que realmente estamos aceitando de tudo um pouco desde musicas gravadas por mulheres frutas, de duplos sentidos, ou por qualquer música ” chiclete” postada na internet. Ao vencedor meus parabéns e que você consiga nesse mundo de “puxões de tapete” mais uma grande vitória.

  128. Sou professora de musica a 8 anos e de canto lirico a 5, pediram uma opiniao de quem entende, e posso dizer com toda certeza: Sam era o melhor dos quatro. Tem um timbre lindo, uma voz maravilhosa e uma afinação impecavel, alcança notas que muitos cantores famoso.nao conseguem nem chegar perto, e posso dizer qie ele foi um.dos melhores do programa.Sua vitoria foi mais que merecida, Parabens Sam!!!

  129. Voltando só para informar aos recalcados que não se conformam com a vitória do Sam Alves e ao Farofa(alguma coisa) que ele ganhou o prêmio Brazilian International Press Awards.

  130. Dos 4 finalistas, pra mim o melhorzinho era o Rubens Daniel. A Lucy Alves, sem querer ofender, chegou na final por causa da sanfona. Ok, bonitinha, toca bem, quis representar o Nordeste. Tinha a voz bonita, mas nao era das melhores. Conseguiu muitos torcedores porque foi mais uma a cantar sobre o Nordeste ser uma regiao de calor, de seca, de sertao, de povo trabalhador, etc. Sou nordestina com orgulho, mas representar minha região dessa forma nao é o suficiente para um programa que elege o candidato pela sua voz; Do Pedro Lima, nunca gostei. Nunca entendi porque era o queridinho do Lulu Santos (e nunca perdoei o Lulu por ter escolhido Pedro Lima ao invés de Guto Santana na batalha). Pedro até tem uma boa voz, mas gritava demais. Aliás, grande parte dos candidatos enfeitavam muito as musicas. Gritar nao é o mesmo que ter extensao vocal. Mas ele gritou tao “afinado” que deu ate pra disfarçar e chegar à final. E por fim, Sam Alves . As minhas amigas de 11 a 15 anos (tenho 12) sao loucas por ele. É bonito, canta pop adolescente, desde que cantou a musiquinha do Crepúsculo na batalha ja vi que ia ser o preferido. Realmente sua voz é excelente. Concordo com a exagerada “americanizaçao”. Mas enfim,o publico que escolheu. E para um progama que nem se deu o trabalho de traduzir o titulo original para o portugues, ja era de se esperar. Mas vamos tentar escolher melhor no proximo The Voice, pessoal.

DEIXE UMA RESPOTA

Por favor, registre seu comentário
Por favor, entre seu nome