A imagem de Cristóvão

Cristóvão Alô Brasil. Frame. Reprodução
"Foi no dia 12 de outubro de 22/ que nasceu na Madre Deus mais um sambista/ o resto eu conto depois". Os versos autobiográficos de Cristovão Colombo da Silva (12/10/1922-19/8/1998), vulgo Cristóvão Alô Brasil, não escondem certa imodéstia: era senhor de seu talento, mas longe de arrogante. No próximo dia das crianças e de Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil,...

Daniela Mercury 2: com quantos nãos se faz um sim?

Feitos todos os preâmbulos, finalmente consigo fazer minha primeira pergunta, e a entrevista de Daniela Mercury começa. "Minha vida é feita de nãos", afirma a cantora e compositora durante o show O Axé, a Voz e o Violão, sem dar maiores explicações. Pergunto o significado daquela frase. "Talvez eu só tenha conseguido fazer algo importante porque recebi tantos nãos", ela sintetiza, após dar exemplos que se...

Abrazo contra a censura

O Clowns de Shakespeare vai apresentar, neste sábado 14 de setembro, Abrazo, a peça que foi cancelada pela Caixa Cultural Recife de forma unilateral e abrupta no último dia 7 de setembro como mais um exemplo do crescente cerco à cultura no País. O espetáculo acontecerá no Teatro Apolo, mas a concentração começa às 15 horas, na Praça do...

Chico no Cantinho

        O cantor, compositor e forrozeiro paraibano Chico Pessoa canta nesta sexta, 27 de setembro, às 18 horas, na agitada casa de shows Cantinho do Frango (Rua Torres Câmara, 71, Aldeota), em Fortaleza. Chico, cuja voz é incrivelmente parecida com a de Fagner, iniciou sua carreira musical em 1982, em Fortaleza, onde vive há mais de 30 anos. Desde então,...

Turíbio e os violões

Os violonistas Luiz Jr. Maranhão e Turíbio Santos. Foto: Zema Ribeiro
Eram tantos violonistas que, de brincadeira, comentei com Ricarte Almeida Santos, já no fim da manhã: o festival deveria se chamar seis mil cordas. Ontem (22) pela manhã, na Escola de Música do Estado do Maranhão Lilah Lisboa de Araújo (Praia Grande), Turíbio Santos, monumento do violão internacional, como afirmei, referindo-me a ele, para a plateia, ministrou uma concorrida masterclass....

A leveza do berro sem limite para o risco

Júlia Emília em sessão de autógrafos de "Quitéria e Inês". Foto: divulgação
A dramaturgia de Júlia Emília é marcada por uma entrega rara. A própria artista carrega em si o talento de transformar a própria dor em força e dar voz a personagens tão interessantes quanto, infelizmente, desconhecidas. Assim é em "Quitéria e Inês" (Quintal Edições, 2019), seu mais recente livro-peça – que encerra a trilogia iniciada com "Meninilha" (2012) e...

A volta do poético Antonio Nóbrega

Antonio Nóbrega lança o álbum Rima, com show no Sesc Bom Retiro
Sem gravar havia 12 anos, o pernambucano Antonio Nóbrega apresenta Rima, seu novo álbum. É uma obra politicamente poética. Reunindo canções compostas em parcerias com os poetas Bráulio Tavares e Wilson Freire, Rima reverencia a arte da poesia brasileira.  Neste fim de semana, nos dias 18 e 19 (sábado e domingo), Nóbrega apresenta o disco no Sesc Bom Retiro. No...

Belchior: ano passado eu não morro

Lançado em 2004, meu livro Como Dois e Dois São Cinco - Roberto Carlos (& Erasmo & Wanderléa) (Boitempo) anda tão desaparecido como andou Belchior nos últimos anos de uma GRANDE vida. Em homenagem à morte do GRANDE artista e pensador cearense em momento histórico tão eloquente, resgato aqui (*) (com alguns reparos e penduricalhos) o capítulo devotado ao GRANDE homem no livro protagonizado por Roberto Carlos, Erasmo Carlos, Wanderléa etc. Viva BELCHIOR.   Não quero lhe...

Roberta mira Gil

A cantora ladeada pelos parceiros Gilberto Gil e Jorge Benjor no clima descontraído das gravações de "Giro". Foto: Alice Venturi
Gilberto Gil assina composições e violão no disco novo de Roberta Sá. “Giro” marca retomada da parceria do baiano com Jorge Benjor Em geral geograficamente associada ao Rio de Janeiro onde se radicou, também por conta do samba que abraçou como gênero majoritário em seus discos, a potiguar Roberta Sá vai além em “Giro” , seu novo álbum. O repertório é...

A desarmonia em João Gilberto

No princípio era a bossa nova. Em três discos fundadores, entre 1959 e 1961, João Gilberto se afinou com Antonio Carlos Jobim & Vinicius de Moraes (“Chega de Saudade”, “Brigas, Nunca Mais”, “O Amor em Paz”, “Insensatez”),  com Antonio Carlos Jobim & Newton Mendonça (“Desafinado”, “Samba de uma Nota Só”, “Meditação”, “Discussão”), com Antonio Carlos Jobim sozinho (“Só em Teus Braços”, “Corcovado”, “Outra...