sábado, junho 6, 2020

Um favelado e um caipira invadem a maior festa literária do mundo

Alexandre Ribeiro e Fred di Giacomo
(Um texto escrito a quatro mãos por Fred di Giacomo & Alexandre Ribeiro.) Fred: “Mano, o que eu senti quando cheguei aqui foi uma sensação de não pertencimento, tá ligado?”. Era o amigo-autor Alexandre Ribeiro quem falava. Até, então, ele tinha ficado no apartamento que alugáramos na periferia de Frankfurt, esperando a edição em inglês de seu best-seller das ruas...

Canções em busca de liberdade

Ícones da música popular brasileira contam, com suas próprias palavras, o que pensam (ou pensavam) sobre limitação de liberdade de expressão, censura e opressão por parte dos mais poderosos. Mas eis que chega a roda viva e... 1. Chico Buarque, "Corrente" (1976) - nas construções ao gosto de Chico, os versos se encadeavam, se desencadeavam, mudavam de ordem e revelavam o...

Mário de Andrade e os estudos raciais no Brasil

O escritor Mário de Andrade foi crítico e vítima dos preconceitos raciais
Vêm à tona escritos de Mário de Andrade sobre a questão racial, censurados na comemoração do cinquentenário da abolição, em 1938 Ao planejar suas Obras Completas, em 1943, o escritor paulistano Mário de Andrade (1893-1945) listou 19 títulos, a começar por Obra Imatura, Poesias Completas, Amar, Verbo Intransitivo e Macunaíma, e que conheceria em O Empalhador de Passarinho um 20o...

Rita Lee, senhora dona de si

Perto de completar 69 anos, Rita Lee pode ser considerada uma pioneira profissional. Desde se consolidar como jovem inventora tropicalista, rara mulher brasileira compositora a partir do rock nos anos 1960 e 1970 e reivindicadora de liberdades femininas por intermédio da composição pop, a artista paulistana vem transgredindo normas e tabus de maneira peculiar, frequentemente entre trancos e barrancos. Rita Lee -...

Acorda, amor!

Numa bonita canção dos anos 1970 chamada "Acorda, amor", Chico Buarque cantava uma letra na qual os ditadores aterrorizavam seu sono. Desesperado diante "da dura", Chico acordava a parceira e contava-lhe o pesadelo que, ao final da canção, percebia-se ser realidade e não sonho.  Visado pela censura, Chico assinou com o pseudônimo Julinho da Adelaide, em parceria com um...

Por que o sertanejo é tão repelido pela sociedade

FAROFAFÁ apresenta o resultado de um bate-papo descontraído entre o historiador Gustavo Alonso, autor de "Cowboys do Asfalto" (editora Civilização Brasileira), Pedro Alexandre Sanches e Eduardo Nunomura, editores do site, Danilo Cymrot, pesquisador cultural e sanfoneiro, e Kátia Passos, jornalista. A conversa pensada para falar do lançamento do livro resultou em horas de discussão sobre música, cultura, academia, jornalismo...

Teixeirinha – Coração do Brasil, de Daniel Feix

Teixeirinha - Coração do Brasil, biografia de Daniel Feix
Uma biografia penetra no mundo fascinante e sertanejo de um dos primeiros astros da periferia dos Brasis, Teixeirinha Em 1960, uma canção regional, de sotaque fronteiriço, bombacha e erros de concordância ganhou todos os aparelhos de rádio do Brasil, tornando-se inescapável. Era Coração de Luto, do gaúcho Teixeirinha, que Caetano Veloso definiu (fascinado) como um “escândalo estético”, o crítico Sérgio...

Balada política

Da esquerda para a direita, Marcelino Freire, Lívia Viana, Antônio José Medeiros e Lucineide Barros, na mesa de abertura da Balada Literária em Teresina. Foto: Zema Ribeiro
Teresina/PI – “A leitura do mundo precede a leitura da palavra.” Este foi o tema da mesa de abertura da Balada Literária em Teresina – o evento é realizado desde 2006 em São Paulo e chega pela terceira vez à capital piauiense. Antes passou por Salvador (entre 21 e 25 de agosto) – o circuito 2019 se encerra em...

“O mulato” em quadrinhos

"O mulato". Capa. Reprodução
Da ideia inicial, pesquisa, tratamentos de roteiro, desenhos até a impressão, Iramir Araújo e Ronilson Freire levaram dois anos para transpor “O mulato” (2019, 132 p.), originalmente publicado em 1881, romance inaugural do naturalismo no Brasil, do maranhense Aluísio Azevedo (São Luís, 1857-Buenos Aires, 1913). Como nada é por acaso, calhou de lançarem a HQ amanhã (20), último dia...

Harold Bloom (1930-2019)

Harold Bloom (1930-2019)
O CRÍTICO QUE FORMULOU A TEORIA DA “ANGÚSTIA DA INFLUÊNCIA” E POLEMIZOU COM EXPOENTES DA LITERATURA MORRE NOS ESTADOS UNIDOS Antonio Candido utilizou a crítica para compreender o papel da literatura na formação de uma Nação. Harold Bloom (1930-2019) utilizou a crítica para compreender as forças endógenas da própria literatura. São duas escolas distintas, mas de grande repercussão em seu tempo. Ao...