Prefeito semeia discórdia entre grafiteiros e pichadores, mas por enquanto só gerou insatisfação dos dois grupos

O cinzento João Doria queria publicidade em torno de seu nome, por meio de jogadas de marketing, e conseguiu. Pichadores já elegeram o prefeito como o alvo número 1 em São Paulo. Pichações contra ele começaram a surgir e essa guerra pode resultar no oposto do que pretendia com o programa Cidade Linda.

Um pichador, tanto quanto Doria, está atrás de publicidade. Quer ser reconhecido. Mas ele também é movido por desafios. Ao rotular os pichadores de “destruidores da cidade”, procurando separá-los dos grafiteiros, o prefeito compra uma briga maior do que imagina.

Um mural do grafiteiro Eduardo Kobra na avenida 23 de Maio, que havia sido preservado pela atual gestão, sofreu uma intervenção dos pichadores. Sobre o painel da avenida foi feito um desenho de Doria com o prefeito pintando de cinza a obra que dizia defender. “Eles terão a resposta. Eles agrediram a obra de um artista”, disse. Em outra parte da avenida, o nome Doria foi pintado repetidas vezes.

23maio3

Mas o prefeito não contará com a solidariedade dos grafiteiros. Primeiro, por ter apagado a grande maioria dos grafites da 23 de Maio e também de outras partes da cidade. Depois, porque boa parte dos grafiteiros respeita ou surgiu do próprio “pixo”. A pichação, que para o prefeito é um ato de vandalismo, representa uma expressão da arte de rua, muitas vezes na forma de protestos.

“Picho pelo Ibope, para ser comentado. A pichação é vandalismo, estou ciente. Não queremos que passem a mão na nossa cabeça, mas tratem a pichação como um delito leve, em que não cabe cadeia”, afirma o pichador assumido N., do grupo OsBichoVivo, que também assinam como OSBV. “Mas o Doria devia ter a mesma obsessão que tem para apagar a pichação para cuidar dos moradores de rua.”

OsBichoVivo começaram a atuar em 1993 com quatro jovens de São Paulo. Só N. permanece. A maioria dos pichações serve apenas para deixar o nome do grupo em evidência. É uma espécie de troféu entre eles. Mas outro desejo é ser reconhecido fora da comunidade. Uma das táticas preferidas de N. é ir atrás de fatos políticos para ganhar espaço no noticiário.

Instituto LulaEm março do ano passado, o grupo de N. pichou o Instituto Lula com frases que pediam prisão para o ex-presidente. Alegadamente apolítico, o pichador também pintou frases contra Geraldo Alckmin (PSDB), por conta das denúncias de corrupção no cartel do metrô paulista, Eduardo Cunha (PMDB) ou o ex-prefeito Gilberto Kassab (PSD). “Mas essas nunca saíram na mídia.”

N. entende que Doria, como prefeito, queira apagar as pichacões, mas não concorda com a perseguição “obsessiva” contra os pichadores e menos ainda a intenção dele de “limpar a cidade” da pobreza visível. “Ando pela cidade, porque trabalho na rua. O Doria prega a Cidade Linda, cidade linda, né? Começou pela 9 de Julho, mas se passar na praça 14-Bis, debaixo do viaduto da avenida, dá para ver que ele amontoou os moradores de rua numa quadra de futebol, jogou eles tudo lá dentro e pôs tapume verde-escuro para ninguém ver. Esta é a cidade linda?”

Ao mesmo tempo em que sinaliza com um Museu de Arte de Rua, Doria promete mobilizar o Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) para prender pichadores. Afirma que vai adotar “tolerância zero” contra eles.

“Quando um pichador encontra algo que não está certo, a gente põe uma frase nos muros que expressa minha opinião, mas de muitos outros”, afirma o pichador. “Ele está exagerando, querendo aparecer. A pichação é um delito leve, não caracteriza cadeia, e deve ser punida conforme a lei, que fala ou cesta básica ou serviço comunitário ou pagamento de um valor”, critica N., que já foi pego inúmeras vezes pela polícia e até teve de pagar multa (500 reais a uma instituição de caridade).

* Leia reportagem na revista CartaCapital, edição 937, já nas bancas, sobre a guerra de Doria contra os grafiteiros

7 COMMENTS

  1. Doria é um grande quadro político da direita. Consegue projetar-se e ganha popularidade combatendo pessoas que são detestadas pela população. Veja por exemplo nosso Harddad e a nossa Dilma que não conseguiram nem se relacionarem bem entre si, nem com seu partido. O PT paulistano fez a campanha do seu candidato? Eu não vi.

    • To vendo sim que o Agripino Dólar (O Juninho Cizentinho) se dá muito bem com o Serra, Aécio e FHC não os vi na campanha também. Combatendo pessoas kkkkkkkkk…… Não viu a campanha? Deveria sair um pouco do seu mundinho de medíocre……o seu carro…Como se alguém do PT pudesse se projetar no PIG…….Agora palhaçada é projeto de paneleiro….

  2. Por enquanto vai se tornando o melhor prefeito dos últimos tempos, pichador é vândalo e tem que ir pra cadeia, grafite é uma arte como qualquer outra, até gosto mas concordo que deixa a cidade poluída.

  3. Mensagem?Até hoje,toda a pixação que eu vi não passou de um rabisco emporcalhando muros e até construções históricas.Não respeitam nem os trabalhos dos grafiteiros,que pedem autorização escrita e agora querem vir com essa lorota de que são heróis e não merecem ser punidos?Vão caçar um emprego,cambada!

DEIXE UMA RESPOTA

Por favor, registre seu comentário
Por favor, entre seu nome