O Manifesto do Nada na Terra do Nunca é o percurso patafísico de Lobão. Só com o conhecimento das verdades absurdas e ridículas pode-se explicar algo tão “psicodélico” e “esquizofrênico”. Só a patafísica pode explicar um texto daqueles.

JarryelaPatafisica139-thumb-600x358-44600
Cena de montagem de 1965 de “Ubu Rei” (1888), de Alfred Jarry, criador da patafísica

Ele escreveu um ensaio cheio de pretensões acadêmicas. Lobão cita fontes, mas deixa subentendido que leu e acompanha as polêmicas da direita: o artigo de Walter Navarro em O Tempo, debochando do genocídio dos guarani-kaiowá (o que Lobão também faz); os ataques do “filósofo” Pondé ao cartunista Laerte, a quem chamou indiretamente de “frouxo” e “traveco bolchevique”. E, finalmente, a metafísica fascista de Olavo de Carvalho em seu Imbecil Coletivo.

Em sua transmutação da esquerda festiva para o anarcocapitalismo, Lobão parece ter feito uma recuperação da fina flor do pensamento de direita, que ele mistura a delírios paranoicos a respeito de comunistas. Velhos tempos em que quem o perseguia eram as canções de Herbert Vianna!

Assim, “o carola estatizado” de Olavo de Carvalho encontra um equivalente em seu “imbecil coletivo”. Sobrenadam também, nessa geleia geral, Nelson Rodrigues e Paulo Francis elevados a sacerdotes de ideologia.

Outro elemento presente é a reescrita da história de um ponto de vista de extrema-direita fascista, ao estilo de Leandro Narloch.  Por fim, Lobão resolve criticar Oswald de Andrade, cobrando dele lógica, racionalidade, eficiência e ética do trabalho, como um bom colunista de Veja faria. Lobão acusa Oswald de Andrade ao mesmo tempo de nacionalismo ressentido e de copiador de tudo que é estrangeiro.

Preso por uso de drogas, ele cobra racionalidade da prosa brilhante de Oswald (que profetizou a contracultura) e pensa que isso é original. Mas não cobra esse mesmo racionalismo de sua interpretação da história. Quando foi que Fidel Castro condecorou John Lennon, como escreve Lobão? Oswald de Andrade provavelmente riria muito de um roqueiro que defende a mãe dos Gracos, Cornélia, mas que vive contando que a mulher o enganou, entrando à sua revelia na Lei Roaunet!

Bob RobertsAs análises de Lobão submetem toda a história da humanidade a seu ego mimado. Para entender o próprio percurso de forma não-patafísica seriam necessários conceitos como indústria cultural e capitalismo, conceitos que faltam totalmente a esse niilista que chafurda na decadência ideológica da burguesia e no irracionalismo. O objetivo de toda essa fúria lupina é apenas tentar reassumir um protagonismo na indústria cultural que, devido ao corpo que não serve mais de modelo de roupas, é impossível de ser resgatado.

O grande tema que subjaz a seus livros é outro, não dito: a decadência deselegante e o apodrecimento ideológico de um popstar pretensamente intelectual do Terceiro Mundo. Lobão virou o nosso Bob Roberts, o roqueiro retrógrado do filme homônimo de Tim Robbins.

 

Lúcio Jr. é professor de filosofia e mestre em estudos literários na UFMG.

 

50 COMMENTS

  1. Lembro de uma piada com português. Havia um Congresso de Controle da Mente. O português foi ao Congresso para mostrar sua nova técnica de controle da mente. Na entrada encontrou um amigo e resolveu contar-lhe de sua técnica. Avistou um aquário e disse ao amigo que dominaria a mente do peixe. Depois de um minuto ele se volta ao amigo e está a fechar e a abrir a boca, com os peixes fazem. Isto foi o que ocorreu com o Lobão. ele foi falar com o Olavo de Carvalho e voltou assim. O que ele quer e tenta é ser um intelectual influente no Brasil. É só não responder ao que ele escreve. A mesma coisa com o Olavo de Carvalho. Filósofo Panfletário. Inútil

    • Nossa cara, você é burro? Eu não consegui gravar o que você escreveu porque você escreve de uma maneira burra, só alguém muito burro para escrever uma tolice dessas. Eu fico impressionado com tamanha burrice. Caetanear é para quem não é burro, sendo você um quadrupede de orelhas assustadas… resta-te o lugar comum da burrice. Leia de novo, dessa vez de maneira menos burra; menos lobonesca.

      • Pedro Alexandre Sanches, pergunte isso à Lúcio Jr., autor do texto. Ele salientou que Lobão tem “delírios paranóicos” e foi “preso por uso de drogas”. Pessoas realmente inteligentes discutem ideias e não recorrem à argumentos “ad hominem” para expor sua posição.

        • Mas isso tudo é fato assumido por Lobão em entrevistas. Ele admite que sua esposa imaginava que o que ele dizia sobre Herbert Vianna é paranóia.

          Ele, Lobão, é quem cola sistematicamente esse rótulo de comunista em qualquer esquerdista ou reformista.

          As observações em relação a quem é o autor são para melhor contextualizar o quanto risível é alguém com essa biografia dar esse tipo de lição de moral…Lobão quer que a gente ria mesmo. Mas eu levo a sério.
          Abs do Lúcio Jr

  2. Quando foi que Fidel Castro homenageou John Lennon?

    “… em 08 de dezembro de 2000 em Cuba, data em que foi inaugurada, naquele país, uma estátua de John Lennon na praça que leva o seu nome. Isso por si só já mereceria destaque, mas o mais incrível é que a estátua foi inaugurada por Fidel Castro em pessoa, com direito a solenidade e discurso.”

    Fonte: O dia em que Fidel Castro homenageou John Lennon
    http://whiplash.net/materias/curiosidades/071235-beatles.html

    • O problema não é a existência de uma hegemonia de esquerda existente na política (veja bem, eu disse na política, não na sociedade. Esta tem uma maioria de direita como mostrou aquela pesquisa do Datafolha) brasileira, isso é simplesmente uma consequência de um fato: o brasileiro que gosta de politica é de esquerda e o que não gosta é de direita (uma coincidência). O ambiente político é visto com descrédito por quase todos. Porém, os que não veem ela assim, e que se engajam politicamente, tem o perfil ideológico de esquerda, e os de direita não. Estes vão para as empresas privadas.

    • Isso é pq aquilo que é aberto à participação popular no Brasil em geral toma ares de esquerda, pois a direita ficou marcada pela ditadura militar.

      Hegemonia de esquerda? Que jornais existem onde vc pode publicar um texto de esquerda e ser remunerado? Que revistas?

  3. Esse pesoal tudo imprensa comprada pela Petralhada. Agora só quem tem direito a opiniao é a esquerda. Texto chapa-branca dessa revistinha governamental.

    • Sério que você acha isso?
      Porque pelo que leio por ai ,das 5 maiores revistas do país 4 possuem cunho direitistas.
      E não vi nenhuma petralhada impedindo delas falarem mal,emitindo opiniões sobre partido ou do governo.
      Por favor, também não sou a favor do PT, mas deixemos de hipocrisia ta bem?!

  4. Lobão escreveu Fidel Castro CONDECOROU Lennon. Homenagear ele homenageou depois de morto, em 2000. Condecorar não condecorou, não. E existia rock na URSS tb, como por exemplo o do Grebenchikov, assim como existia, sim, livre expressão e respeito aos direitos humanos. Como disse Stálin, ter liberdade individual é ter um emprego. Perca o emprego e veja como seus direitos no capitalismo são ilusórios.

    Artigo do Caetano? Eu sigo eu linha reta nesse artigo, não sigo? Não tem a ambivalência que o Caetano coloca em tudo. Caetano anda flertando com a extrema direita (Olavo), com o centro (Mangabeira Unger) e com a esquerda (Marighella, Safatle, anarquistas). Não é bem o caso aqui, né? Aqui é aroeira.

    • “Existia rock na URSS” .

      Existia? Quantos hits, Grammy, trilhas de filme? Risos…

      “assim como existia, sim, livre expressão e respeito aos direitos humanos.”

      OI!?!? Cinquenta (CINQUENTA!!!) milhões de mortes, não é suficiente para a sua moral – literalmente – vermelha? É sério, você realmente acredita nisso?

      “Como disse Stálin, ter liberdade individual é ter um emprego.”

      Ah, claro. Citar Stálin, por si só, já te torna um imb… de marca maior (Vergonha Alheia nível máximo!). Tá, vamos supor que isso faça algum sentido: Por que o comunismo maravilhoso fracassou na URSS? Por que a gente só vê cubanos fugindo para os EUA, e não o contrário?

      “Perca o emprego e veja como seus direitos no capitalismo são ilusórios.”

      Vamos simplificar (esquerdopata fanático como você, só desenhando): qual Coréia tem melhores índices de qualidade de vida, emprego, taxa de natalidade, educação, saúde, segurança, respeito aos direitos humanos… a do Norte, do taradinho psicopata, ou a do Sul?

      Cara, tenho muita pena de vocês, esquerdistas.

      Se trata!

      • É de fato curioso que escola é um ponto nebuloso na retórica lupina. Ele diz que estudou ouvindo Chico Buarque e lições de Educação Moral e Cívica (as primeiras cartilhas foram escritas pelo…fascista Plínio Salgado, bingo!)

        Outro dia, ele disse que também a mãe misturava os olhos azuis de Chico e de Médici…

  5. Que texto horrível , por isso nossa educação está desse jeito … lastimável .
    Temo pelo futuro de nosso país . É muita boçalidade no meio acadêmico .

  6. Entendo o que você quis dizer. mas sua argumentação não me convenceu. Tenho tentado postar comentários nos sites da Morena Socialista e outros, mas os moderadores não publicam.
    A publicação de comentários esdrúxulos pró e contra parecem ser o requisito básico e isso, na minha opinião, contribui para nivelar a discussão por baixo e deixar as opiniões e posts num patamar de incontestabilidade.

    • Aqui nós publicamos todos os comentários, Bruno, exceto os que contenham calúnia, grosseria explícita, essas coisas… Até hoje, em três meses na CartaCapital, não devemos ter rejeitado mais que três.

  7. Não vou concordar, pois Jarry foi um gênio da literatura e do teatro, e a sua patafísica é uma sátira ao positivismo (filosofia do sistema) que imperava em sua época, enquanto Lobão, a despeito de um ou outro bom disco que tenha gravado, não passa de um reacionário equivocado e caricato.

  8. Ótimo texto. Lobão parece não ter saído da adolescência e virou uma espécie de adolescente tardio às avessas, reacionário, tentando manter seu ego inflado às custas de opiniões ao estilo patafísico, o que, se não tem muita consistência lógica, o mantém nas manchetes midiáticas.

  9. Repito aqui o que postei em outro site, sobre esse mesmo assunto: Já admirei o Lobão há décadas atrás,por ocasião de sua luta quase solitária contra o rolo compressor da indústria fonográfica. Hoje ele soma à fileira dos ex: ex-comunistas, ex-rebeldes, ex-revolucionários, ex-progressistas, ex-esquerdistas, como Arnaldo Jabor, Roberto Freire, Fernando Gabeira, Soninha Francine, Caetano Veloso, Paulo Francis et caterva. E não há nada de pior do que esses ex que se bandearam para a direita. O maior exemplo dessa sinistra trajetória é a do udenista Carlos Lacerda, comunista na juventude e um dos mentores do golpe militar de 64. Não dá pra levar o Lobão a sério, ele que chamou a presidenta Dilma de assassina terrorista e que minimizou a tortura, dizendo que alguns poucos tiveram apenas suas unhas arrancadas (sic). Deixemos o Lobão em paz para ele pensar nas baboseiras que escreverá na veja, tendo como colega de bancada o colega Reinaldo Azevedo. Quem sabe ganhe também uma coluna junto com este o o Demétrio Magnoli, na folha. Eles se merecem.

      • Outro ex-integralista foi o grande D. Helder Câmara que arriscou até sua integridade física, denunciando os crimes da ditadura. Não se trata aqui de contabilizar quantos são os ex da direita ou os da esquerda. Não perca o foco, caro Fernando. Nos exemplos dados, os ex da direita assumiram riscos na época mais sombria de nossa história. Os ex da esquerda assumem, via de regra, posições conservadoras de direita em troca das benesses do poder, notoriedade, status, aceitação das elites e outras coisas do gênero, negando os ideais do passado.Não se trata apenas de mudanças ideológicas de direita e esquerda não, Basta olhar o caso de jornalistas que hoje trabalham na grande mídia, a exemplo da Globo. Veja e compare por exemplo o irreverente Faustão do programa “Perdidos na noite” dos anos 1980 (inclusive contra a TV Globo), e o Domingão do Faustão, que apresenta tipos humanos de forma degradante para o deleite da família brasileira nas tardes de domingo. Pense, Fernando.

  10. Sobre a URSS, Fernando, ela acabou pq ao tempo de Kruschev houve um golpe revisionista e, partir daí, o capitalismo foi reintroduzido aos poucos. Gorbachev apenas terminou o serviço.
    Havia, sim, o roqueiro Grebenchikov, que fazia canções místicas, assim como havia algo como o que houve aqui nos anos 60, um debate entre os que queriam misturar folclore e os roqueiros mais puros.

    • Uau!

      Quer dizer então que tudo se resume a um “golpe” aplicado pelos… deixa eu ver… ehhhh… bem, (como sempre, na falta de uma explicação minimamente clara) pelos capitalistas inimigos do povo, por meio do próprio presidente.

      As filas, a escassez de itens básicos como alimentos – até mesmo, pasme!, papel higiênico (a Venezuela que o diga…) -, o atraso tecnológico, a falta de liberdade, a repressão a todas as formas de oposição, a desesperança do povo, enfim, tudo isso, se resumiu a inimigos revisionistas da Disney Totalitária?

      Aham. Deve ser por isso que o povo foi pra rua celebrar a queda do muro de Berlim, que mais de 70.000 cubanos já perderam a vida tentando fugir para os EUA e a Coréia do Norte é esta potência humanista, né não?!

      Ai, ai…

      • Fernando, deixa de ser Zé Ruela na vida…
        Interpretação excessivamente crítica com um ponto específico do texto (a tal “condecoração” que realmente nunca houve) e deixa de analisar as questões mais importantes, como por exemplo a “guinada” que o Zé Ruela deu desde finais dos 1990 pra cá.
        Lembre que ele chegou a ser capa da revista Caros Amigos, rompeu contratos com gravadoras, criou seu próprio selo, fez mais de um manifesto, enfim, conseguiu se posicionar como uma figura crítica da indústria cultural (talvez você não conheça o conceito, mas aí já não é problema meu…) e até crítica da burguesia brasileira e do capitalismo.
        Aí, de repente reaparece no Faustão com cara de arrependido (Faustão inclusive lhe fazendo aqueles horripilantes e repetitivos elogios de 15 minutos que lhe são conhecidos) e agora quer se transformar em alguma coisa tipo miniatura canábica de Paulo Francis ou sei lá quem…
        E você com essa implicância adolescente em cima de haver ou não Rock em Moscou…
        Se liga, brother, o Lúcio tem razão… o cara era até vanguarda nos anos 1980… mas ele estava nos seus 20 e poucos anos e só tocava guitarra e cantava, mas hoje aos 50 virou um Zé Ruela e marca maior…

        • Ô Illyushin, vc deveria ter deixado um pseudônimo aqui, agora Lobão vai saber que os russos estão infiltrados aqui e perseguindo ele!
          E nós que amávamos tanto aquele Lobão da Caros Amigos!
          Ele vai ter que colocar os russos junto das Farc, Maduro, PCC(s), Evo, Stálin, Martha Suplicy, Hitler, Boff, gayzistas, Gramsci, cantores de reaggae, Herbert Vianna e outros que perseguem ele!

          Abs!

  11. O texto repreende Lobão por se transferir da esquerda para a direita. Mas não creio que seja o caso. Quem prestar atenção em todas as letras, dos anos 80 e 90, vai ver que Lobão nunca foi um esquerdista. Que ele simpatizasse com figuras da esquerda até concordo, mas seu trabalho como artista não é isso. O equívoco aqui é mais profundo: artista nenhum deve pensar em alinhar seu trabalho com a direita ou esquerda. E o texto do professor Lúcio JR. deveria levar isso em conta. Ao menos me parece que a arte é a criação incessante de mundos, arte é criação. E nós, apreciadores e intérpretes é que a alinhamos posteriormente, a traduzimos e acomodamos na esquerda ou direita.
    Lobão erra agora ao tentar se tornar relevante através do discurso político, engajado. Toda arte que nasce com a preocupação de reproduzir o discurso político logo é esquecida, perde seu teor de arte assim que uma nova geração aparece. Quero dizer que ele está deixando de ser artista e os críticos não estão atentando para esse fator. De qualquer forma, uma maneira de lucrar com essa virada no homem Lobão, seria tentar compreender essa suposta conversão em termos estéticos também, por que não?
    Repito, a arte perde sempre quando se torna política. E perdem todos: os artistas e os críticos, aqueles por tornarem-se irrelevantes e estes porque se limitam a conceder selos de aprovação ao trabalho dos artistas…

    • Pois é, Marcelo, mas desde meados do século XX, quando a indústria cultural tornou toda a arte em mercadoria e passou a moldar não só a mercadoria, mas também o público e a própria recepção, a política entrou com força na arte. Ela perdeu sua autonomia nesse processo. Lobão está certo nesse sentido: ou abdica de ser protagonista ou abraça a política.

      Eu sou baixo clero do meio acadêmico e creio que dificilmente alguém acadêmico fará comentários sobre esse livro do Lobão, a não ser por questões políticas.

  12. Ano passado o Lobão protagonizou um vídeo dizendo que os artistas nacionais deveriam se retirar do festival Lollapalooza caso não recebessem horários melhores para tocar. Segundo ele há uma LEI que OBRIGA festivais a ter uma cota de artistas nacionais.
    Será que depois dessa guinada para o liberalismo o Lobão vai fazer um mea culpa?

  13. No fundo, apesar dos supostos exageros da direita, o que sobra é que é incrível que pessoas ainda ACREDITEM no maior farsante que já nasceu neste país, o Sr. Lulla da Silva, e também seus seguidores. É muita ignorância.

DEIXE UMA RESPOTA

Por favor, registre seu comentário
Por favor, entre seu nome